Logomarca

Um jornal a serviço do MS. Desde 2007 | Segunda, 8 de Março de 2021

Policial

Jovem de 19 anos com dezenas de passagens pela polícia sai da cadeia e volta cometer furto

Desta vez a vítima foi o aposentado José Pereira, 70 anos, dono de uma relojoaria no centro da cidade há mais de 53 anos.

Paula Lucia/Região News

26 de Setembro de 2014 - 16:27

Preso até dia 8 deste mês, quando foi posto em liberdade, Thiago Benites Ximenes, de 19 anos, voltou a cometer crimes no comércio em Sidrolândia. Desta vez a vítima foi o aposentado José Pereira, 70 anos, dono de uma relojoaria no centro da cidade há mais de 53 anos.

O relojoeiro conta, que Thiago chegou em seu estabelecimento, por volta das 14h30 desta sexta-feira (26) a procura de um relógio de pulso, que segundo ele, havia deixado para o concerto há alguns dias. Como de praxe, José foi procurar o tal relógio num cofre que mantém numa outra sala, onde ficam guardados os aparelhos concertados.

No momento em que saiu do balcão para averiguar, ouviu um barulho de abertura da gaveta do caixa, voltou para verificar e já não encontrou o suposto cliente. José Pereira conta que saiu atrás do individuou que fugia a pé na calçada em direção à churrascaria Casa Nostra, distante 50 metros de sua loja, localizada ao lado da Casa Lotérica.

No momento da fuga, um assessor do vereador Edno Ribas que estava na fila da Casa Lotérica, Claudio Fábio, percebeu a movimentação, pegou uma bicicleta que estava estacionada e saiu em perseguição ao suspeito. Alcançado por Cládio Fabio o rapaz negou que o crime, mas entregou ao aposentado R$ 27,00 que estava em seu bolso, valor que segundo ele, havia acabado de receber como adiantamento onde presta serviços.

Neste intervalo passava pela Avenida Dorvalino dos Santos, uma viatura da Polícia Militar (PM) que foi acionada por Claudio. O suspeito empreendeu fuga novamente em direção ao Mercado do Guima e acabou preso em flagrante pelos militares próximo ao pórtico de acesso ao condomínio Golden Residence.

Thiago Benites tem várias passagens pela policia. Só de furto foram dez registros até aqui, quatro por lesão corporal, três por tráfico de drogas, além de ter sido vitima de uma tentativa de homicídio por disparo de arma de fogo. Aos policiais o acusado diz não ter cometido o crime, que trabalha como cabo eleitoral e passou na relojoaria entregando panfletos de campanha do candidato Edivaldo dos Santos, para quem, segundo ele, esta trabalhando.