Logomarca

Um jornal a serviço do MS. Desde 2007 | Sábado, 20 de Julho de 2024

Policial

Justiça decreta prisão preventiva de vereador suspeito de extorsão em MS

A prisão foi decretada durante o plantão de fim de semana, a pedido do Ministério Público Estadual (MPE)

G1 MS

17 de Setembro de 2012 - 14:24

A juíza Adriana Lampert, da 1ª Vara de Bonito, a 300 km de Campo Grande, decretou a prisão preventiva do presidente da Câmara de Vereadores, Reginaldo dos Reis Nunes Rocha (PT). O parlamentar é suspeito de praticar extorsão ao exigir um percentual sobre o pagamento de verbas indenizatórias a vereadores e ex-vereadores.

A prisão foi decretada durante o plantão de fim de semana, a pedido do Ministério Público Estadual (MPE). Ele foi preso na sexta-feira (14), após investigação do Grupo de Atuação Especial de Repressão ao Crime Organizado (Gaeco) que durou cerca de um mês. A detenção foi em flagrante e, agora, com a prisão preventiva, não há prazo para soltura.

Rocha foi denunciado por uma ex-vereadora do partido, que apontou o parlamentar em esquema de cobrança de propina para liberar os benefícios a vereadores.

Em entrevista ao G1, o filho do vereador, Lucas Rocha, disse que a família não iria se pronunciar sobre as acusações.

As imagens cedidas pelo Gaeco mostram o momento em que o vereador é flagrado cobrando propina de uma ex-vereadora. Reginaldo chega em um carro de campanha, entra na casa da ex-vereadora, pega e conta o dinheiro (cerca de R$ 2,5 mil) e sai. Depois, guarda o dinheiro no carro e, em seguida, vai distribuir santinhos.

Em outra gravação, os dois se encontram no escritório dela, em Bonito, e discutem o pagamento de verbas indenizatórias, uma espécie de pagamento que os parlamentares têm direito. Ela alega que não recebeu o dinheiro referente aos anos de 2004 a 2008. Minutos depois, os dois voltam ao escritório e Reginaldo impõe a condição para liberar o pagamento a companheira de partido.

Segundo o Tribunal Regional Eleitoral de Mato Grosso do Sul (TRE-MS), Reginaldo dos Reis Nunes Rocha foi eleito vereador pela primeira vez em 2004, com 302 votos, e reeleito em 2008 com 454 votos. Nas eleições deste ano, ele tenta voltar à Câmara pela terceira vez.