Logomarca

Um jornal a serviço do MS. Desde 2007 | Sábado, 4 de Dezembro de 2021

Policial

Líderes de facção criminosa do MA são transferidos para Campo Grande

O grupo é considerado de alta periculosidade pelos crimes cometidos e também por terem feitos atos violentos dentro das unidades prisionais.

Campo Grande News

22 de Julho de 2013 - 07:31

Desde sábado, 10 líderes de facções criminosas vindos do Maranhão estão no presídio de Federal de Campo Grande. Eles vieram transferidos na tentativa de conter a criminalidade na capital maranhense e em cidades do interior.

Segundo matéria do Uol, todos os internos foram identificados por liderar facções que estavam agindo de dentro dos presídios, dando ordens para serem praticados diversos crimes fora do sistema prisional. O grupo é considerado de alta periculosidade pelos crimes cometidos e também por terem feitos atos violentos dentro das unidades prisionais.

Os presos embarcaram em um avião alugado pelo governo do Estado. O valor gasto com a transferência não foi divulgado e para cada detento, havia dois agentes penitenciários. A transferência dos presos para Mato Grosso do Sul ocorreu depois que o Governo do Maranhão pediu ao Ministério da Justiça vagas em presídios federais para custodiar presos de alta periculosidade. O grupo é considerado de alta periculosidade pelos crimes e também por atos violentos dentro dos presídios.

O grupo é considerado de alta periculosidade pelos crimes e também por atos violentos dentro dos presídios. "Nós elencamos as maiores lideranças do sistema criminoso da região metropolitana de São Luís e do interior do Estado. Esse é apenas o início dessa grande operação, pois estamos acompanhando essas quadrilhas há algum tempo. A operação começou há aproximadamente quatro meses, mas a área de inteligência já vem trabalhando na investigação desses criminosos há mais de um ano", afirmou o secretário de Segurança Pública do Maranhão, Aluísio Mendes.

Os presos transferidos são: Rones Lopes da Silva, conhecido como "Rone Boy", considerado um dos líderes de rebelião ocorrida em presídio; Bruno Monteiro da Silva, suspeito de ser o autor intelectual de dois homicídios na Penitenciária São Luís II, sendo que em um deles, a vítima teve o corpo esquartejado; Tobias Pereira Oliveira, o "Tobias", foi autuado em flagrante por posse ilegal de arma de fogo, apreendida no interior da cela onde estava preso; Ronilson Coutinho, o "Pixuca"; Mauro Soares Alves, o "Seu Mauro"; Wadson da Silva Araujo, "Tanaka"; Josué Santos da Silva, o "Gaspar", roubo, tráfico e homicídios; Rosildo Ferreira, o "Roni", esteve envolvido nos últimos quatros meses registrou três tentativas de fugas, sendo a mais grave delas ocorrida no último dia 12 de abril, na qual tentaram utilizar explosivos com a finalidade de destruir os muros da área externa da unidade; Francisco Carlos de Sousa, o "Ceara" e Cosme Pereira Lima da Silva.