Logomarca

Um jornal a serviço do MS. Desde 2007 | Quarta, 8 de Dezembro de 2021

Policial

"Maníaco da Flor" sonhava em tirar mulher queimada da noite e apelido veio após rejeição

Como ela se recusava a receber e se escondia, um dia ele perdeu a paciência e atirou o vaso com a flor contra a porta do local onde ela estava.

Midiamax

26 de Setembro de 2013 - 16:36

O homem apelidado de 'Maníaco da Flor' e apontado como principal suspeito de ter matado e queimado Viviane Rodrigues Matos, encontrada com o corpo ainda em chamas na região do Parque dos Poderes em 6 de setembro, dizia na boate em que ela trabalhava que queria tirar a mulher da 'vida fácil'.

“Ele queria amigar com ela”, afirma uma amiga. Viviane, que às vezes usava o nome de 'Vanessa', já havia mantido um relacionamento com o homem, mas não pretendia voltar, apesar da insistência.

O apelido de “Maníaco da Flor”, foi dado ao homem na boate e danceteria Paraíso, na região norte de Campo Grande, após ele tentar dar para Viviane um vaso de flor Kalanchoe, ou Flor-da-fortuna. Como ela se recusava a receber e se escondia, um dia ele perdeu a paciência e atirou o vaso com a flor contra a porta do local onde ela estava.

No dia seguinte, a flor foi achada e o homem ganhou o apelido. “Chegamos a pensar que era um trabalho de macumba, mas depois lembraram que viram o homem com a flor. Depois disso ele passou a ser chamado desta forma, mas era sem provocar, apenas como referência”, afirmou a amiga de Viviane.