Logomarca

Um jornal a serviço do MS. Desde 2007 | Terça, 26 de Outubro de 2021

Policial

Mapa vigiará fronteira para barrar entrada de proteína contaminada

Ainda assim, o ministério adotou medidas preventivas e avisou a Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) solicitando uma ação conjunta.

Agência Brasil

10 de Agosto de 2013 - 09:00

O Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento vigiará as fronteiras, os portos e aeroportos do país para impedir a entrada da proteína concentrada de soro de leite da Fonterra. A empresa neozelandesa enviou comunicado às autoridades brasileiras, por meio da Embaixada da Nova Zelândia, declarando que três lotes do produto foram contaminados com a bactéria Clostridium botulinum, causadora do botulismo, mas não foram enviados ao Brasil.

Ainda assim, o ministério adotou medidas preventivas e avisou a Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) solicitando uma ação conjunta. Além de ter orientado fiscais a devolver produtos fabricados a partir de maio de 2012 pela unidade da Fonterra na cidade de Hautapur, Nova Zelândia, o órgão rastreou as importações de produtos lácteos do Brasil a partir dessa data. De acordo com o ministério, não foi registrado ingresso dos itens sob suspeita.

O Ministério da Agricultura também suspendeu a habilitação do fabricante no Brasil.

De acordo com a assessoria de comunicação da pasta, a permissão de exportar para o Brasil só voltará a valer após as autoridades sanitárias da Nova Zelândia comprovarem o restabelecimento da segurança alimentar dos produtos. A proteína concentrada de soro de leite é uma matéria-prima comumente usada em produtos como bebidas lácteas, iogurtes, fórmulas infantis e bebidas para atletas.