Logomarca

Um jornal a serviço do MS. Desde 2007 | Domingo, 14 de Abril de 2024

Policial

No primeiro semestre do ano, 43 pessoas morreram afogadas em Mato Grosso do Sul

Os bombeiros consideram o número preocupante, já que as férias ainda não terminaram e geralmente os números aumentam no mês de dezembro

Correio do Estado

19 de Julho de 2011 - 08:21

Nadar pode ser uma ótima opção para amenizar o calor, mas muita cautela é necessária para não transformar a diversão em tragédia. O primeiro semestre de 2011 já carrega a marca de 43 mortes por afogamento em Mato Grosso do Sul, sendo 37 no interior e 6 na Capital.

Os bombeiros consideram o número preocupante, já que as férias ainda não terminaram e geralmente os números aumentam no mês de dezembro. Em 2010 foram 56 mortes, 46 no interior e 10 na Capital.

Na semana passada, uma menina de 10 anos morreu afogada no Rio Anhanduizinho ao ir atrás do cachorro da família. Ela escorregou no lodo e foi levada pela correnteza. Não houve tempo dos familiares a salvarem.

Segundo a assessoria do Corpo de Bombeiros, falta de conhecimento do local de banho e desatenção com crianças pequenas são as principais causas de afogamento. Como o período de férias é propício a acidentes, algumas orientações são importantes:

- Procurar um local conhecido para nadas

- Não ultrapassar placas de aviso

- Não entrar em águas poluídas ou com aviso de perigo

- Evitar nadar sozinho

- Não ingerir bebida alcoólica antes de entrar na água

- Não tentar salvar pessoas em afogamentos se não possuir condições para fazê-lo

- Não se afastar muito da margem

- Evitar brincadeiras como “caldos”

- Levar coletes salva-vidas em embarcações.