Logomarca

Um jornal a serviço do MS. Desde 2007 | Sábado, 28 de Novembro de 2020

Policial

PMA autua sete pescadores praticando pesca de “barranco” no rio Aquidauana

Três foram autuados no município de Rochedo (MS), três em Terenos (MS) e um em Dois Irmãos do Buriti (MS). Com eles foram apreendidos 8 molinetes e 5 kg de pescado

Assessoria

19 de Novembro de 2012 - 09:00

Mesmo alertados de que a única pesca permitida é a de subsistência, pessoas insistiram em praticar a chamada pesca de “barranco” no período proibido. Uma equipe de Campo Grande (MS) autuou sete pessoas no rio Aquidauana, por pescar durante a piracema.

Eram pessoas, que possuem ranchos às margens de rios, sabem que não poderiam pescar e mesmo assim ficavam fazendo o que eles chamam de pesca de barranco, utilizando molinetes. Três foram autuados no município de Rochedo (MS), três em Terenos (MS) e um em Dois Irmãos do Buriti (MS). Com eles foram apreendidos 8 molinetes e 5 kg de pescado.

Como os casos não eram graves, a PMA realizou autos de infrações administrativos e não realizou a condução em flagrante para a delegacia de polícia, porém, eles responderão por crime ambiental. Se condenados poderão pegar pena de um a três anos de detenção. Cada infrator foi multado administrativamente em R$ 700,00.

ALERTA

A PMA alerta que a única pesca permitida neste período na bacia do Rio Paraguai e nos rios de domínio do Estado de Mato Grosso do Sul, na Bacia do Paraná é a pesca de subsistência. Subsistência é manutenção da vida. Então, quem pode pescar é o ribeirinho que precisa da proteína do peixe para manutenção de sua vida.

Ele pode capturar 3 kg, ou um exemplar, respeitando as medidas permitidas, porém, não pode comercializar em hipótese alguma. Portanto, a população das cidades lindeiras, bem como pessoas que vão passar o final de semana em ranchos às margens dos rios, não podem pescar de forma alguma.

Nos Lagos das Usinas do Rio Paraná, pode haver a pesca embarcada ou desembarcada, com cota de captura de 5 kg mais um exemplar de peixes exóticos e não nativos da bacia, tais como: tucunaré, curvina, tilápia, bagre africano, porquinho, Black bass, peixe-rei, carpa, piranha-preta, zoiúdo etc.