Logomarca

Um jornal a serviço do MS. Desde 2007 | Domingo, 20 de Setembro de 2020

Policial

PMA registrou aumento de 141% no tráfico de aves em 2019

Eles são os preferidos porque as pessoas gostam de tê-lo como animal de estimação.

Midiamax

06 de Janeiro de 2020 - 14:12

A PMA (Polícia Militar Ambiental) registrou um aumento de 141% em casos de tráfico de aves em Mato Grosso do Sul em 2019. O tráfico de animais silvestres é quase que exclusivamente de aves no estado e a maioria dos casos é de tráfico de papagaios. Eles são os preferidos porque as pessoas gostam de tê-lo como animal de estimação.

Segundo a PMA, o tráfico de papagaios se intensifica entre agosto e dezembro, que é o período reprodutivo da ave. “O interesse é no filhote, pois somente pego pequenos é que ele pode desenvolver a capacidade de reproduzir a voz humana, o que atrai as pessoas para terem o animal em casa”.

Foram autuadas sete pessoas e apreendidas 345 aves em 2019: 180 papagaios, cinco periquitos e 160 canários peruanos. Estes canários estavam com uma corumbaense de 33 anos. A PMA aplicou multas que somaram o valor de R$ 799 mil, valor 447% superior ao ano de 2018.

Canários-peruanos

MS é rota para o tráfico internacional de canários-peruanos. Segundo a PMA, o canário entra no Brasil trazidos por traficantes peruanos, bolivianos ou brasileiros e é levado para o Distrito Federal e Minas Gerais, onde são usados em ‘rinhas’.

Os canários peruanos também são cruzados em cativeiro com a ave brasileira, fato que coloca em risco esta espécie. O cruzamento produziria um espécime intermediário, difícil de ser diferenciado e muito forte para utilização em ’rinhas’.

“Vale ressaltar, que a lei não reconhece o tráfico do canário-peruano, ou outra espécie exótica vinda de outro País, como tráfico e, sim, como introduzir espécie no País sem autorização. A forma de combate a esse tipo de tráfico tem sido com barreiras nas estradas, especialmente, na região de Corumbá”, diz PMA.