Logomarca

Um jornal a serviço do MS. Desde 2007 | Domingo, 20 de Setembro de 2020

Policial

Polícia busca primo enterrado por serial killer após briga por causa muro

Esta é a quinta vítima já identificada pela Polícia Civil

Midiamax

15 de Maio de 2020 - 15:55

Equipes da DEH (Delegacia Especializada de Repressão a Homicídios), do Batalhão de Choque da Polícia Militar e da Perícia estão na tarde desta sexta-feira (15) em imóvel localizado no bairro Alto Sumaré, na região da Vila Planalto, em Campo Grande, para escavações em busca da quinta vítima do serial killer Cleber de Souza Carvalho, de 43 anos, pedreiro suspeito de matar ao menos cinco pessoas em Campo Grande.

O trabalho ocorre em terreno na Rua Corredor Público, onde foi enterrado Flávio Pereira Cece, de 34 anos, que é primo do assassino e estava desaparecido desde meados de 2015. De acordo com o delegado Carlos Delano, da DEH, Flávio foi morto após desentendimento com Cleber em razão da construção de muro para dividir o terreno, que a vítima havia herdado do pai e dividido com um irmão.

Na data dos fatos, Cleber se armou com um pedaço de pau e golpeou a vítima. Em seguida, a enterrou no local. O detalhe é que mesmo após o sumiço de Flávio, ninguém procurou a polícia para registrar boletim de ocorrência e o caso só veio à tona após a descoberta da série de crimes cometidos pelo pedreiro. O assassino ainda negociou o terreno por R$ 50 mil. Mais cedo, foram encontrados outros corpos que haviam sido enterrados por Cleber.

O mais recente é de Hélio Taira, de 73 anos, desenterrado na tarde desta sexta-feira e que estava desaparecido desde novembro de 2016 e foi encontrado em uma casa a Vila Planalto. Conforme noticiado há pouco pelo Midiamax, Cleber fazia reforma nesta residência e, na ocasião, Hélio foi contratado para prestar um serviço de jardinagem e limpeza, oportunidade em que se desentenderam.

O pedreiro então matou a vítima com pauladas, cavou buraco, enterrou o corpo e depois concretou o local, colocando piso. Por este motivo, o corpo não havia sido encontrado até então. Além de Hélio, que foi a quarta vítima encontrada, Cleber também matou José Leonel Ferreira dos Santos, de 61 anos, José Jesus de Souza, de 44 anos, desaparecido na primeira quinzena de fevereiro de 2020,  e Roberto Geraldo Clariano, de 48 anos, que desapareceu em 23 de junho de 2018.

Roberto, que teve o corpo encontrado em um terreno no Recanto dos Pássaros após quatro horas de escavações, teria sido contratado por Cleber para fazer um trabalho braçal com ele, e durante a briga foi morto com golpe do cabo de uma picareta na cabeça. Leonel foi enterrado nos fundos de casa, na Vila Nasser. José Jesus foi encontrado na madrugada desta sexta-feira, enterrado em um terreno no Coophatrabalho.