Logomarca

Um jornal a serviço do MS. Desde 2007 | Sábado, 26 de Setembro de 2020

Policial

Policial militar em folga mata rapaz a tiro de pistola durante confusão em posto de combustíveis

O soldado se apresentou no quartel de Ivinhema. Quando ele chegava no local, jovens atiraram contra ele, que revidou.

G1 MS

26 de Janeiro de 2020 - 19:17

Um policial militar em folga é suspeito de matar um rapaz de 19 anos durante uma confusão em um posto de combustíveis de Ivinhema, na madrugada de sábado (25). O soldado Elizeu Teixeira Neves, de 28 anos, está preso e, segundo o comando da Polícia Militar de Mato Grosso do Sul, a Corregedoria da corporação acompanha o caso.

Vídeo feito por pessoas que estavam próximas mostra um grupo indo em direção ao carro do policial, um dos integrantes agride o soldado, que atira em seguida. O militar sai do veículo, há uma discussão e então o amigo dele entra e eles vão embora.

Segundo informações do boletim de ocorrência, o policial estava com mais dois amigos no posto e um deles se envolveu em confusão com outro grupo. A situação foi apaziguada e o soldado e um terceiro amigo entraram no carro para irem embora.

Conforme o vídeo e o registro da ocorrência, vários rapazes se aproximam do carro do soldado e um leva a mão para dentro do veículo, pela janela do motorista. Em seguida se ouve um tiro, há dispersão e uma nova discussão com o amigo do militar.

O tiro disparado pelo policial matou Gustavo Henrique de Azevedo da Silva. Ele foi atingido no tórax. Um segundo jovem, de 23 anos, teve ferimento na coxa e foi transferido para um hospital de Dourados devido a gravidade do ferimento.

À Polícia Civil, o soldado afirmou que foi agredido com um soco dado por Gustavo e por isso atirou. Falou também que fez apenas um disparo no posto.

Tiros em frente ao quartel

Após a confusão no posto, de acordo com o boletim de ocorrência, o policial se apresentou no quartel de Ivinhema e entregou a arma. Porém, quando estava em frente ao local para entrar, três pessoas em um carro atiraram contra ele, que revidou.

Durante o sábado a Polícia Civil e a PM procuraram pelos suspeitos que estavam no carro. Eles foram localizados e confessaram que eram eles mesmos que estavam no veículo no momento dos tiros, porém, entraram em contradição sobre quem fez os disparos.

A arma usada pelo policial era uma pistola ponto 40 pertencente à Polícia Militar. Em frente ao quartel foram encontradas quatro estojos de calibre ponto 40 deflagrados.