Logomarca

Um jornal a serviço do MS. Desde 2007 | Quarta, 6 de Julho de 2022

Policial

Quadrilha é conhecida por “terror” durante suas ações

A força-tarefa montada durou toda a quarta-feira e o final das prisões ocorreu na quinta, quando Bruno e Valdeci acabaram detidos em Juti.

Dourados News

16 de Outubro de 2015 - 15:45

Os cinco integrantes da quadrilha que aterrorizou Dourados e região no meio de semana, Evandro Medeiros dos Santos, Rudson Carlos Passareli da Silva, Francisley Peixoto, Bruno Barros de Oliveira e Valdeci Ferreira, foram apresentados na manhã desta sexta-feira (16) na sede da Defron (Delegacia Especializada de Repressão aos Crimes de Fronteira), em Dourados.

Eles são responsáveis pela morte de Josias Leiva, 34, ocorrida numa estância às margens da BR-463, de ferir José Ricardo da Silva, 31, minutos antes, trocar tiros com um policial rodoviário federal, além de assaltar e fazer refém um caminhoneiro nas proximidades de Juti.

Segundo o delegado do SIG (Serviço de Investigações Gerais) da Polícia Civil, Matheus Zampieri, os presos fazem parte de uma quadrilha especializada em roubos e são considerados de alta periculosidade.

“São criminosos de alta periculosidade, especialistas no que estão fazendo”, disse durante a apresentação.

Durante a ação conjunta que resultou na prisão do grupo, policiais militares, rodoviários federais e civis atuaram em busca dos assaltantes nos municípios da região. Dezenas de homens foram utilizados nos trabalhos e um helicóptero da PRF (Polícia Rodoviária Federal) auxiliou na captura. A força-tarefa montada durou toda a quarta-feira e o final das prisões ocorreu na quinta, quando Bruno e Valdeci acabaram detidos em Juti.

Trazidos para a Defron, confessaram os crimes e alegaram que só atiraram contra as vítimas porque elas haviam reagido. O grupo será encaminhado para o 1º Distrito Policial e depois, para a PED (Penitenciária Estadual de Dourados), onde ficarão à disposição da Justiça.

A HISTÓRIA

Na noite de terça-feira, Evandro, Bruno e Valdeci teriam assaltado uma família de produtores rurais no Paraná. Na ação, segundo a polícia, torturaram as vítimas e chegaram a ameaçar atear fogo nesses, levando em seguida a caminhonete GM S-10, que seria entregue no Paraguai.

Na madrugada de quarta-feira, já na companhia de Rudson e Francisley, que foram contratados por R$ 1,5 mil para dar suporte e levar o veículo até a fronteira, a quadrilha entrou no Mato Grosso do Sul. Os outros três integrantes estavam num GM Astra branco.

Ao se aproximar do destino o grupo foi surpreendido por uma barreira da PRF. A dupla contratada acabou presa e a S-10 apreendida, enquanto os outros três abandonaram o carro e fugiram. Próximo a Dourados, eles resolveram roubar um veículo para retornar a cidade de Nova Esperança (PR), onde residem.

Na primeira ação, os criminosos invadiram a casa de José Ricardo da Silva. Após atirar e atingir o seu peito, acabaram fugindo sem o carro. Logo depois, eles se deslocaram até a estância onde morava Josias, na mesma região, o matando e levando a Ford F-1000.

Evandro ficou em Dourados e no início da manhã contratou o serviço de uma mototaxista que o transportou até o Paraná, e depois foi preso. Já os outros dois tentaram fugir com a caminhonete roubada, porém, se envolveram num acidente na BR-163, próximo a Caarapó.

No local, houve a tentativa de abordagem por parte de um policial rodoviário que resultou em troca de tiros e fuga dos criminosos para a mata.

Uma força-tarefa por parte de organismos policiais foi montada, porém, eles não foram localizados. Na tarde de quinta, a dupla assaltou um caminhoneiro e o fez de refém, quando a Polícia Militar efetuou a prisão de ambos.