Logomarca

Um jornal a serviço do MS. Desde 2007 | Domingo, 9 de Maio de 2021

Policial

Soldado da PM e segurança agiam em esquema de roubo a carros

Ambos fazem parte de esquema golpista que consiste em supostas apreensões de carros que são vendidos com financiamentos atrasados.

Correio do Estado

08 de Fevereiro de 2017 - 09:42

Roubo ocorrido na noite de ontem (7), em Campo Grande, teve como protagonista servidor da segurança pública que, ao invés de atuar em defesa da população agiu criminosamente. Soldado da Polícia Militar, de 27 anos, foi preso apontado como autor do roubo de automóvel Golf. Ele teria agido junto com primo, de 29 anos, que trabalha como segurança de condomínio de luxo da cidade e também foi detido em flagrante.

Ambos fazem parte de esquema golpista que consiste em supostas apreensões de carros que são vendidos com financiamentos atrasados. Por constar irregularidade, o policial fingia a recuperação do bem, mas vendia e o lucro era dividido com comparsas. A informação é do delegado Camilo Ketenhuber, que registrou o caso.

De acordo com a autoridade policial, dono do carro declarou que havia marcado com pessoa pelo Whats App para mostrar o Golf que pretendia vender e estava parado na Avenida Guaicurus, perto da Unidade de Pronto Atendimento (UPA) do Universitário esperando o suposto interessado quando dois rapazes apareceram em Corsa.

Conforme a vítima, inicialmente, os ocupantes do Corsa passaram pelo local uma vez encarando e na segunda pararam e desceram. Um dos rapazes disse que era policial militar, mas não se identificou pelo nome. Alegando que havia encontrado irregularidade no veículo, declarou que iria apreendê-lo.

O proprietário insistiu no nome do militar. No entanto, ao invés de responder, ele mostrou pistola .40 que tinha na cintura e afirmou: “isso aqui é a prova de que sou policia”, diz relato da vítima. Em seguida, o soldado saiu com o Golf e o primo foi para lado oposto, no Corsa.

PERSEGUIÇÃO

A vítima pediu ajuda para motorista que passava pelo local e saiu em perseguição ao Golf. Ao mesmo tempo, informava à central da Polícia Militar sobre o endereço onde estavam.

Equipe do Batalhão de Choque encontrou o Golf sendo dirigido pelo soldado no macroanel, perto da Uniderp. Em princípio, militar tentou fugir em alta velocidade, mas acabou cercado e detido.

Depois de arma ter sido encontrada, o rapaz disse que é policial militar e que recém tinha pegado o carro com um primo e que ele o dono. O primo do militar foi chamado para esclarecer os fatos e afirmou ser o proprietário do Golf, mas entrou em contradição dizendo que o policial estava com o veículo há uma semana.

Diante das evidências do envolvimento da dupla em crime, os dois foram levados à delegacia plantonista do Centro e indiciados por roubo.

GOLPE

Em entrevista à reportagem o delegado que registrou o caso explicou como o esquema funciona. “É uma quadrilha envolvida. Integrantes fazem parte de aplicativos e de grupos de compra e vendas de carro e indetificam carros ''BOB'' que são aqueles repassados para outros dono por causa do financiamento que está atrasado. Após esse filtro, fingem interesse, marcam encontro e um dos integrantes diz ser policial e que o carro será apreendido por causa da irregularidade. Mas, o veículo é vendido e o lucro dividido entre eles. Faz se valer do poder de polícia para atuar na prática criminosa”, enfatizou Camilo Ketenhuber.

Afim de auxiliar na investigação, a autoridade policial pede que mais pessoas que tenham sido vítimas desse golpe façam denúncia à Delegacia Especializado de Furtos e Roubos de Veículos (Defurv), em horário de expediente das 8h às 18h.

O soldado da PM envolvido no esquema criminoso faz parte da segurança pública desde 2014 e estava no fim do estágio probatório.

A assessoria de comunicação da instituição disse que vai abrir sindicância para apurar o caso e tomar medidas disciplinares cabíveis.