Logomarca

Um jornal a serviço do MS. Desde 2007 | Sexta, 7 de Maio de 2021

Policial

Três presos fogem pela frente de delegacia plantonista da Capital

Os nomes dos foragidos ainda não foram divulgados, mas eles têm 27, 35 e 40 anos, e foram recapturados nos dias 4 e 5, devido à outra fuga de prisão.

Correio do Estado

07 de Fevereiro de 2017 - 08:09

Três homens que já tinham sido recapturados por evasão do sistema prisional e estavam detidos na Delegacia de Pronto Atendimento Comunitário (Depac) do Centro fugiram, por volta das 3h de hoje, pela frente da unidade policial. Os nomes dos foragidos ainda não foram divulgados, mas eles têm 27, 35 e 40 anos, e foram recapturados nos dias 4 e 5, devido à outra fuga de prisão. 

A delegada Ana Paula Trindade que estava no plantão em questão não quis comentar sobre o episódio. Contudo, a reportagem obteve informação de que não foram encontrados vestígios de arrombamento e na cela onde os detentos estavam foi apreendida chave micha, possivelmente usada para abrir o cadeado.

No compartimento de presos, havia mais pessoas que ''não fugiram porque não quiseram”, conforme informação de fonte da matéria. Ao todo, em duas celas tinham 22 detentos.

Os fugitivos percorreram corredor que dá acesso à garagem da delegacia e saíram por portão que estava aberto e é usado para entrada e saída de viaturas. Como a delegada não quis se pronunciar sobre o episódio, não é possível saber se há suspeita de facilitação na fuga ou se faltou segurança na unidade policial.

A Depac onde a fuga aconteceu fica na Rua Padre João Crippa, no Centro de Campo Grande. Como não há expediente nas delegacias de áreas durante a noite, ocorrências policiais que acontecem neste período, são todas registradas nas delegacia plantonistas. Além do Centro, tem outra no Bairro Piratininga.

Equipes do Grupo de Repressão a Roubo a Banco, Assaltos e Sequestros (Garras) e do Batalhão de Choque foram acionadas em apoio para buscas pelos fugitivos, mas até às 8h nenhum deles havia sido localizado. O Sindicado dos Policiais Civis do Mato Grosso do Sul (Sinpol) ficou de se reunir para discutir o caso e decidir providências a serem tomadas.