Logomarca

Um jornal a serviço do MS. Desde 2007 | Terça, 30 de Novembro de 2021

Policial

Trio é detido por suspeita de agredir e matar bebê de cinco meses em Dourados

A mãe da criança, Katiuscia Juliete de Oliveira, 28 anos, foi presa nas dependências do HU.

94 FM

01 de Outubro de 2013 - 09:30

Nesta segunda-feira (30), três pessoas foram detidas sob suspeita de agredirem e matarem um bebê de cinco meses na Rua Ivinhema, na Vila Índio, em Dourados. Os envolvidos trabalham como cuidadores de veículos nos arredores do Shopping Avenida Center. A vítima foi levada dia domingo dia 29 para o hospital, mas na tarde de ontem (30), por volta das 15h20, não resistiu aos ferimentos e morreu.

Às 22h de domingo (29), o Samu foi acionado para resgatar uma criança que supostamente havia caído do berço. Porém, após dar entrada no Hospital da Vida, os médicos constataram que os inúmeros hematomas e um traumatismo craniano não poderiam ser fruto de uma simples queda do berço. Em seguida, a vítima foi encaminhada para o HU (Hospital Universitário).

Os médicos também notaram que a criança apresentava hematomas antigos, o que sugere que tenha sofrido traumas anteriores a este ocorrido domingo (29). O caso foi comunicado anonimamente à redação da 94FM, que de imediato entrou em contato com a Polícia Civil e o Conselho Tutelar.

A mãe da criança, Katiuscia Juliete de Oliveira, 28 anos, foi presa nas dependências do HU. À polícia ela disse que mora na casa de dois colegas de trabalho, para quem entrega parte do que arrecada das gorjetas dadas pelos motoristas.

Segundo ela, seu colega de trabalho e parceiro de moradia, José Fernandes de Freitas, 36 anos, é que seria o autor das agressões. Após ser detido ele negou a acusação e diz que a mãe é que teria machucado a criança. A esposa de Freitas também foi detida, mas como não foram encontradas evidências de que a mesma teve participação no crime, foi liberada em seguida.

O caso está sendo investigado pelo delegado Adilson Stiguivitar, que no final da tarde desta segunda-feira autuou Freitas por homicídio doloso (com a intenção de matar) e Katiusci por omissão.