Logomarca

Um jornal a serviço do MS. Desde 2007 | Quarta, 30 de Setembro de 2020

Política

Ainda sem aceitar convite, Regina Duarte diz que terá 'muito trabalho'

Convite de Bolsonaro a atriz foi feito após demissão de Roberto Alvim, em razão de vídeo com inspiração nazista.

G1

21 de Janeiro de 2020 - 15:04

A atriz Regina Duarte afirmou nesta terça-feira (21) que está de “corpo e alma” com o atual governo e assegurou que dará o seu “melhor pela causa da nossa Cultura”. Ela ainda não aceitou formalmente o convite do presidente Jair Bolsonaro para assumir a Secretaria Especial da Cultura.

A atriz fez publicações sobre o convite em sua conta uma rede social. Ela foi convidada por Bolsonaro para assumir a secretaria no lugar do dramaturgo Rodrigo Alvim, demitido após a repercussão negativa de um discurso com frases semelhantes às usadas por Joseph Goebbels, ministro da Propaganda do governo de Adolph Hitler, na Alemanha nazista.

Nas publicações na rede social, Regina Duarte disse que aceitou um "período de noivado" com o governo Bolsonaro. Nesta quarta-feira (22) ela virá a Brasília conhecer a estrutura da secretaria.

“Tô de corpo e alma com esse governo, vcs já sabem, apaixonada como sempre pelo meu país, louca pra contribuir com a produção da alegria e felicidade geral... me entrego ao que Deus e o Destino reservam pra mim, muito grata pela confiança de todos. Vou, como sempre tenho feito, dar o meu melhor pela causa da nossa Cultura”, publicou a atriz.

“Vou ter muito trabalho pela frente. Fiquem comigo, vou precisar saber que estão comigo. Grande, grato e amoroso abraço!”, acrescentou.

A atriz ainda afirmou nas postagens que as relações "precisam passar pelo noivado pra corrermos menos riscos de 'não dar com os burro n’agua".

Regina teve um encontro com Bolsonaro na segunda-feira (20), no Rio de Janeiro. Após a reunião, o Palácio do Planalto informou sobre a visita da atriz a Brasília na quarta.

Regina disse na oportunidade estar "noivando" com o governo. Já Bolsonaro, em uma rede social, escreveu que o relacionamento "possivelmente trará frutos" para o país.

Em nota, a Globo informou que: "A atriz Regina Duarte tem contrato vigente com a Globo e sabe que, se optar por assumir cargo público, deve pedir a suspensão de seu vínculo com a empresa, como impõe a nossa política interna, de conhecimento de todos os seus colaboradores."

A Secretaria da Cultura herdou as atividades do antigo Ministério da Cultura, extinto pelo presidente no início de seu governo. A secretaria fazia parte da estrutura do Ministério da Cidadania e migrou em novembro para a pasta do Turismo. Até o momento, o governo teve três secretário de Cultura.

Exoneração do ex-secretário

O ex-secretário de Cultura, Roberto Alvim, foi demitido por Bolsonaro na sexta-feira (17). Alvim deixou o posto após a repercussão negativa de um discurso em que usou frases semelhantes às de um discurso de Joseph Goebbels, ministro da Propaganda do governo de Adolph Hitler, na Alemanha nazista.

O nome de Regina Duarte surgiu no mesmo dia como favorito para a vaga. De acordo com o blog da Natuza Nery, a atriz afirmou que queria uma conversa "olho no olho" do presidente antes de se decidir sobre o convite.

A reunião foi marcada para esta segunda. Depois de compromissos da agenda oficial no Rio de Janeiro, Bolsonaro conversou com a atriz no aeroporto, antes de embarcar de volta para Brasília.