Logomarca

Um jornal a serviço do MS. Desde 2007 | Domingo, 9 de Maio de 2021

Política

Antonio Guterres presta juramento na Assembleia Geral da ONU

Posse do novo secretário-geral será no dia 1º de janeiro.

G1

12 de Dezembro de 2016 - 16:45

Antonio Guterres, eleito secretário-geral da ONU, prestou juramento nesta segunda-feira (12) na Assembleia Geral das Nações Unidas, em Nova York. Sua posse será no dia 1º de janeiro. O ex-primeiro-ministro português de 67 anos será o nono secretário-geral da ONU. Ele substituirá o sul-coreano Ban Ki-moon, que fica no cargo até 31 de dezembro.

"Eu, António Guterres, juro solenemente exercer com toda a lealdade, discrição e consciência as funções que a mim atribuídas como secretário-geral das Nações Unidas", disse em inglês.

Em uma breve cerimônia, Guterres se comprometeu a não aceitar instruções de nenhum governo ou outra autoridade no exercício de suas responsabilidades, de acordo com a agência EFE. "A ONU deve estar preparada para mudar", disse.

Guterres foi indicado e aprovado por unanimidade pelo Conselho de Segurança da ONU para ser o novo secretário-geral, e aprovado pela Assembleia-Geral em outubro.

Diplomatas esperam que Guterres sacuda a ONU e adote reformas internas para torná-la mais rápida e eficiente. Também querem que leve novos ares à secretaria geral, depois de 10 anos de uma atitude low-profile durante o mandato de Ban.

Trajetória

Nascido em Lisboa e formado em física e engenharia elétrica, o político de 67 anos começou sua carreira em meio à Revolução dos Cravos, movimento que pôs fim ao Estado Novo português (1932-1974), e foi um dos principais líderes do nascente Partido Socialista.

Foi secretário-geral do partido, ocupou o cargo de primeiro-ministro entre 1995 e 2002, e durante a última década (2005-2015), foi responsável pela Agência da ONU para os Refugiados (Acnur).

Nesse período, promoveu uma série de reformas que aprimoraram a atuação da agência, segundo diplomatas. Hoje o Acnur é considerado um dos órgãos mais funcionais e bem-sucedidos da ONU, organização frequentemente criticada pelo excesso de burocracia e pouco impacto na vida das pessoas.

Uma de suas principais ações à frente da Acnur foi ampliar o número de funcionários nas áreas com mais refugiados para melhorar o atendimento in loco.

Guterres também chefiou por um curto período o Conselho Europeu, órgão que reúne os chefes de Estado e governo da União Europeia. Fluente em inglês, francês e espanhol, sempre transitou bem entre os colegas do continente.