Logomarca

Um jornal a serviço do MS. Desde 2007 | Quarta, 12 de Maio de 2021

Política

Assembleia encerra 2016 com dez partidos representados e inicia 2017 com nove

SD tem representante na casa agora.

Midiamax

30 de Dezembro de 2016 - 11:00

A ALMS (Assembleia Legislativa de Mato Grosso do Sul) irá encerrar o ano de 2016 com 10 partidos representados, mas inicia 2017 com apenas nove. Isso por que o ex-vereador Herculano Borges (SD) passa a integrar a casa e o prefeito eleito da Capital Marquinhos Trad (PSD) deixa da AL.

Borges já foi empossado e ele entrou no lugar do ex-deputado estadual Angelo Guerreiro (PSDB), eleito prefeito de Três Lagoas. Trad deixa a casa de leis e será substituído por um suplente do PMDB, já que era seu partido quando foi eleito para o legislativo.

Neste caso, quem deve assumir a vaga é o então vereador Paulo Siufi (PMDB). Ele é o segundo suplente, mas a primeira seria a vereadora Délia Razuk, de Dourados, que foi eleita prefeita da cidade.

Os demais deputados que iniciam o não legislativo de 2017 são, os petistas Amarildo Cruz, Pedro Kemp, João Grandão e Cabo Almi; Antonieta Amorim, Eduardo Rocha, Marcio Fernandes, Renato Camara e Junior Mochi, do PMDB.

Pelo PSDB, Flavio Kayatt, Rinaldo Modesto, Mara Caseiro, Felipe Orro, Beto Pereira, Onevan de Matos e Mauricio Picarelli; Paulo Correa e Grazielle Machado do PR; Zé Teixeira do DEM.

Completam a lista com Lidio Lopes do PEN; Coronel David do PSC e George Takimoto pelo PDT.

Com relação as bancadas, PSDB tem uma diminuição, passando de oito para sete e PMDB aumenta de cinco para seis. A terceira maior bancada é do PT com quatro, seguida pelo PR com dois e as demais com um representante cada.