Logomarca

Um jornal a serviço do MS. Desde 2007 | Quarta, 27 de Janeiro de 2021

Política

Bancada do Solidariedade se divide e Mauricio Anache diz que bloco não existe mais

Jurandir Cândido, David Olindo, Marcos Roberto e Mauricio Anache, filiados ao Solidariedade, se dividiram e não estão mais agindo como bloco na Câmara de Sidrolândia.

Flávio Paes/Região News

27 de Agosto de 2014 - 08:24

Menos de um ano depois de se unir numa ação articulada que impôs várias derrotas ao Governo em votações de projetos, aprovou CPIS e comissões de investigação e tinha a pretensão de ditar a eleição da próxima Mesa Diretora, os vereadores Jurandir Cândido, David Olindo, Marcos Roberto e Mauricio Anache, filiados ao Solidariedade, se dividiram e não estão mais agindo como bloco na Câmara de Sidrolândia.  

“A partir de agora cada um vai agir e votar conforme a sua consciência e seu interesse político”, anuncia o vereador Mauricio Anache. Ele diz que e sentiu liberado para agir individualmente, depois que os vereadores Marcos e Jurandir, sem uma consulta prévia ao grupo, decidiram se alinhar à base aliada, “votando em favor dos projetos do Governo independente do seu conteúdo”, afirma.

“Aquilo que no meu entendimento for bom para a cidade, serei favorável, mas quando achar que a proposta não é, votarei contra”, assegura. Além de não mais atuar de forma conjunta nas votações na Câmara, Anache reviu o compromisso (assumido pela bancada do SDD) de apoiar a reeleição do deputado federal Geraldo Resende como contrapartida a destinação de uma emenda de R$ 1,2 milhão para reforma e ampliação do Hospital Elmiria Silvério Barbosa.

“Quem me apresentou ao deputado foi o Marcos Roberto. Não pretendo a reeleição do deputado Geraldo, daí porque não preciso levar o crédito pela emenda, quando os recursos foram liberados”, destaca o vereador, que pretende pedir voto para o vereador Edivaldo dos Santos, candidato a deputado estadual; seu colega de profissão, o médico Ricardo Ayache, candidato ao Senado e está analisando possibilidade de se engajar na campanha da reeleição do deputado Fábio Trad, de quem é amigo de infância.

Na definição da destinação que seria dada a emenda parlamentar, Mauricio já havia se desentendido com seu colega de bancada, Jurandir Cândido. Médico pediatra ele defendia a construção de uma ala pediátrica, acabou prevalecendo à proposta de Juandir, da construção de uma nova lavandeira e de um centro cirúrgico.  

Eleito pelo PSDB na base do Governo, Anache nos primeiros meses de mandato assumiu uma postura crítica em relação à administração municipal até migrar definitivamente para oposição. Junto com os outros três colegas se filiou ano passado no PROS, mas saiu do partido depois que uma manobra articulada pelo deputado Osvane Ramos, que substituiu os quatro da Comissão Provisória por funcionários comissionados ligados aos tucanos de Sidrolândia.