Logomarca

Um jornal a serviço do MS. Desde 2007 | Sexta, 7 de Maio de 2021

Política

Câmara decide nesta segunda-feira se aumenta em 153% verba do transporte e suplementação para 35%

As emendas mais polêmicas serão apresentadas pelo vereador Waldemar Acosta, ambas relacionadas aos estudantes universitários.

Flávio Paes/Região News

04 de Dezembro de 2016 - 21:40

A Câmara Municipal delibera nesta segunda-feira, em 1ª votação, o orçamento da Prefeitura para 2017, fixado em R$ 159.173.376, 44, correção de 3,83% (abaixo da inflação) sobre o deste ano, fixado em R$ 153.288.735,17. Embora o prefeito eleito Marcelo Ascoli, tenha preferido se eximir de propor de forma explicita qualquer alteração na proposta, o vereador Nélio Paim, indicado secretário de Saúde, apresentou emenda que amplia de 25 para 35%, a suplementação do orçamento (por decreto). Na semana passada a Câmara autorizou suplementar o orçamento deste ano em mais 10%, totalizando os mesmo 35% propostos por Nelinho. 

A emenda mais polêmica, no entanto é a do vereador Waldemar Acosta que amplia em 153% a dotação do transporte universitário (de R$ 1.380 milhão para R$ 3 milhões). A proposta enviada pelo Executivo reduziu em 25% a verba do transporte (que em 2016 foi de R$ 1.850 milhão).

Waldemar garante que a emenda não têm o objetivo de engessar a futura gestão, pelo contrário “garantem ao futuro prefeito a liberdade” para definir qual tamanho da subvenção que pretende conceder. “O orçamento não é impositivo. Esta dotação anual de R$ 3 milhões garantem ao prefeito a possibilidade de ampliar o número de beneficiários do transporte, que hoje é restrito a quem tenha renda familiar de até três salários mínimos”, lembra.

O futuro prefeito em entrevista à imprensa, já sinalizou que pretende manter este critério, adotado pela atual gestão, motivo de muitas críticas durante a campanha eleitoral.