Logomarca

Um jornal a serviço do MS. Desde 2007 | Terça, 26 de Outubro de 2021

Política

Chineses destacam atenção de André e Takimoto para intercâmbio

De acordo com o governador, conforme o tamanho do investimento e o número de empregos gerados, os incentivos fiscais e tributários podem chegar a 90% por 20 anos.

Assessoria

19 de Setembro de 2013 - 07:26

A perspectiva de um sólido e progressivo intercâmbio comercial e cultural entre os dois países está desenhada no vivo interesse demonstrado por autoridades como o governador André Puccinelli e o deputado estadual George Takimoto. A conclusão é do presidente da Câmara Brasil-China de Desenvolvimento Econômico (CBCDE), Wang Dian Xing.

Acompanhado de Oscar Wei, assessor da presidência, ele visitou Campo Grande na segunda-feira, 16, e esteve nos gabinetes de Puccinelli e Takimoto para defender o fortalecimento das relações binacionais. A secretária estadual de Desenvolvimento Agrário, da Produção e Turismo, Tereza Cristina Corrêa da Costa Dias, também participou do encontro.

Wang Xing destacou que Mato Grosso do Sul possui uma excelente posição geográfica e, por isso, existem muitos empresários chineses de olho no Estado. Por essa razão pretende estabelecer uma ponte de comércio e cultura entre os dois países. “Primeiramente gostaria de agradecer ao governador por nos receber. Vamos abrir uma frente de negociação com o governo do Estado para promover um encontro entre Estado, empresários chineses e brasileiros. Queremos muito aprender sobre as potencialidades do Mato Grosso do Sul, pois existem muitos empresários chineses interessados em investir aqui”, reforçou.

O presidente da CBCDE esclareceu ao chefe do executivo estadual que no primeiro momento já existe a intenção de duas grandes empresas se instalarem em Mato Grosso do Sul, em função da localização geográfica, incentivos e infraestrutura. “A primeira é uma grande indústria de beneficiamento de carnes, com objetivo de exportar para o mercado chinês, e a segunda é uma montadora de máquinas pesadas e caminhões. Até o final deste ano organizaremos uma visita técnica de diversos empresários chineses ao Mato Grosso do Sul para conhecer as potencialidades do estado”, reforçou.

Puccinelli se mostrou interessado nos projetos chineses e apontou números que provam o bom relacionamento comercial entre o estado e a China, destacando que 22% das exportações de MS vão para o País asiático. “Já estivemos duas vezes na China e temos uma boa relação de comércio com eles. Já existe uma grande empresa chinesa se instalando no município de Maracaju. Estamos abertos às negociações e garanto que Mato Grosso do Sul é o estado que mais dá incentivos fiscais no País. O Centro-Oeste brasileiro é a região que mais cresce e Mato Grosso do Sul é o mais competitivo dos estados”, garantiu.

De acordo com o governador, conforme o tamanho do investimento e o número de empregos gerados, os incentivos fiscais e tributários podem chegar a 90% por 20 anos. “Queremos nos industrializar o mais rápido possível. Fornecemos aos empresários todos os estudos de viabilidade econômica dos empreendimentos e todos os nossos secretários estão à disposição para auxiliar na instalação de novas indústrias de qualquer ramo”.

Segundo Wang Xing, a visita serviu para abrir novos caminhos, conhecer e entender de perto a dinâmica do desenvolvimento local e informar-se melhor sobre a melhor direção dos investimentos. “É possível incentivar os investidores porque os dois países têm o que vender e o que comprar nas áreas de agricultura e tecnologia”, disse. O dirigente da Câmara assinalou que governo e iniciativa privada, em seus respectivos papéis, têm condições de ajudar a ampliar o mercado de exportações de produtos como a carne, os grãos, insumos e máquinas. Do volume de exportações de Mato Grosso do Sul, 22% são destinados aos compradores chineses.

Também consta do interesse de Wang Xing instituir o sistema de cidades-irmãs para aproximar mais as comunidades dos dois países. A ideia é fazer de Campo Grande a cidade-irmã de Shenyang. Com mais de 8 milhões de habitantes e uma das dez maiores cidades da China, é um dos principais centros industriais do país. Serve como o centro de transportes e comércio do nordeste chinês, sobretudo com o Japão, Rússia e Coréia. Foi incluída entre as 13 megacidades emergentes do País. No Brasil, a Câmara presidida por Xing já encaminhou a declaração de cidades-irmãs para Campinas e Dongguan.

Os chineses vislumbram ainda outros itens no arco de cooperação, com ênfase para a saúde, educação e meio ambiente. Os modais variados de transporte, a logística e corredores de escoamento mais práticos e baratos, como a rota bioceânica, dão a Mato grosso do Sul uma posição diferenciada em termos de competitividade na política de custos.

“Foi uma agenda proveitosa nesta primeira viagem que fizemos ao Estado. Não só fomos bem recebidos, como também tivemos a melhor das impressões, notadamente na clareza e na objetividade com que o governador André Puccinelli e o deputado George Takimoto apontam soluções para o desenvolvimento humano, econômico e social”, definiu Xing.

Na ocasião, o presidente da CBCDE convidou o governador André Puccinelli, o deputado George Takimoto e a secretária de Estado, Tereza Cristina Corrêa da Costa Dias, para participarem da inauguração da nova sede do órgão na China, no mês de novembro. “Investimos 200 milhões de dólares na construção de dois edifícios para abrigar nossa sede e a inauguração contará com a presença dos maiores empresários do País, além de muitas autoridades chinesas. É uma excelente oportunidade de se fazer contatos e conhecer possíveis investidores”, finalizou.