Logomarca

Um jornal a serviço do MS. Desde 2007 | Terça, 7 de Dezembro de 2021

Política

Com ficha do PSB embaixo do braço, Nelsinho espera definição entre PMDB e PT

Apesar de divergente em âmbito regional, a ideia agrada ao governador André Puccinelli (PMDB) e ao senador Delcídio do Amaral (PT), em plena pré-campanha ao governo do Estado.

Willams Araújo/Cojuntura Online

03 de Outubro de 2013 - 15:18

Na reta final do prazo de filiação partidária, que se expira no sábado (5), o ex-prefeito de Campo Grande, Nelsinho Trad, pode se abrigar no PSB na eventualidade de ser preterido no PMDB dentro das articulações que estão em andamento em torno de uma aliança com o PT em Mato Grosso do Sul.

Em reunião, no começo da semana na capital, com o prefeito de Dourados, Murilo Zauith, presidente regional do PSB, Nelsinho deixou claro o desejo de filiar-se ao partido para disputar o governo estadual em 2014. Essa conversa já havia sido encaminhada há meses pelos dois políticos.

No entanto, tudo vai depender dos entendimentos entre o comando nacional do PMDB e do PT, que tem pressionado a fim de unir os dois grupos adversários para fortalecer a campanha à reeleição da presidente Dilma Rousseff em Mato Grosso do Sul.

Apesar de divergente em âmbito regional, a ideia agrada ao governador André Puccinelli (PMDB) e ao senador Delcídio do Amaral (PT), em plena pré-campanha ao governo do Estado.

O ministro Aloizio Mercadante (Educação), que virá a Campo Grande proferir palestra, deve se reunir com as lideranças locais nesta sexta-feira na tentativa de selar o acordo de aliança.

Na reunião com Murilo, Nelsinho revelou que a ideia no PMDB é indicá-lo para concorrer ao Senado na chapa de Delcídio, proposta que o ex-prefeito até admite aceitar se houver anuência dentro do partido, uma vez que a vice-governadora Simone Tebet tem pretensão de postular o cargo.

Os dois líderes políticos têm uma boa relação desde a campanha em que Nelsinho serviu como um dos principais cabos eleitorais de Murilo na disputa para o Senado, em 2010.

Apesar do apoio e da expressiva votação que obteve, Murilo perdeu a vaga para o então deputado federal Waldemir Moka (PMDB).

Caso contrário, o caminho é o PSB, cujo comando regional deixou a legenda à disposição para que Nelsinho possa concorrer ao governo, reforçando assim a candidatura do governador Eduardo Campos (PSB-PE) à Presidência da República.

Além de Nelsinho, o PSB deve acomodar outros peemedebistas em seus quadros, como é o caso da secretária Tereza Cristina Corrêa da Costa (Desenvolvimento Agrário, da Produção, da Indústria, do Comércio e do Turismo), que pretende concorrer a uma cadeira na Câmara dos Deputados pela legenda dependendo de conversa com o governador André Puccinelli.

Nesta quarta-feira (2), André Puccinelli esteve em Dourados participando da abertura do 7º Canasul (Congresso da Cana de Mato Grosso do Sul) e da 3ª Feira Agrometal de Mato Grosso do Sul, onde trocou impressões com o prefeito douradense sobre o cenário político estadual.

Durante a conversa com o prefeito, ele acertou a filiação no PSB do diretor-presidente da Sanesul (Empresa de Saneamento de Mato Grosso do Sul), José Carlos Barbosa, o Barbosinha, que apesar de pertencer ao DEM é ligado ao governador.  Barbosinha também vislumbra disputar a cadeira na Câmara Federal em 2014.