Logomarca

Um jornal a serviço do MS. Desde 2007 | Sábado, 28 de Novembro de 2020

Política

Com ideias ousadas, nanicos registram propostas simplificadas no TRE

Com pouca estrutura para tocar suas campanhas, os três candidatos aguardam o início do horário eleitoral gratuito de rádio e televisão

Willams Araújo

21 de Julho de 2014 - 16:49

Com propostas simplificadas, algumas das quais limitadas a sete páginas, os candidatos ao governo pelos chamados partidos “nanicos”, ou seja, de pouca densidade eleitoral, prometem, se eleitos em outubro, reestatizar a Enersul e até vila zero nos postos de saúde de Mato Grosso do Sul. 

O fato é que muitas propostas, como é o caso do fim das filas nos postos, são consideradas quase que impossíveis de serem colocadas em prática devido ao deficiente sistema de saúde pública adotado não apenas no Estado, mas em todo o País.

Com uma plataforma de governo de apenas 16 páginas, o candidato do PSTU à sucessão do governador André Puccinelli (PMDB), Marco Antônio Oliva Monje, registrou proposta no TRE (Tribunal Regional Eleitoral) que prevê a reestitazação da Enersul e estatização de hospitais filantrópicos e privados.

Em dezembro de 2012, a Enersul passou a ser controlada pela Equatorial e CPFL Energia, mas há muito tempo já era uma empresa privada, por ter sido comercializada durante o último mandato do governo de Wilson Martins (PMDB).

Já o candidato do PP, Evander Vendramini, registrou no TRE um plano de governo com sete páginas e três diretrizes: Qualidade de Vida, Desenvolvimento Sustentável e Qualidade dos Serviços Públicos.

Ousado, o progressista promete inovar na área de saúde pública, tanto em Campo Grande quanto no interior do Estado, adotando  projetos simples, “porém muito eficientes e humanos”, como o Consulta Única e o Fila Zero.

Igualmente, com propostas sucintas com 26 páginas, Sidney Mello (PSOL) promete, se eleito,  modernizar o Programa Saúde da Família, expandir a rede hospitalar de urgência e emergência e contratação de servidores por meio de concurso público.

Com pouca estrutura para tocar suas campanhas, os três candidatos aguardam o início do horário eleitoral gratuito de rádio e televisão, previsto para estrear no dia 19 de agosto, para massificar suas propostas no confronto com outros três potenciais concorrentes ao governo estadual: Delcídio do Amaral (PT), Nelsinho Trad (PMDB) e Reinaldo Azambuja (PSDB).