Logomarca

Um jornal a serviço do MS. Desde 2007 | Segunda, 29 de Novembro de 2021

Política

Correligionários do PMDB deixam claro a vontade de que o partido tenha candidatura própria

Nesta parte do evento tanto Nelsinho como Simone não estiveram presentes para não criar nenhum tipo de inibição por parte dos participantes.

Assessoria

17 de Agosto de 2013 - 08:10

Independente do nome que o Partido do Movimento Democrático Brasileiro (PMDB) escolha para concorrer ao cargo de governador do estado do Mato Grosso do Sul em 2014, os correligionários do partido demonstraram o desejo de que o PMDB lance um candidato próprio.

Durante reunião acontecida nesta quinta-feira (15), no Sindicato Rural de Campo Grande, prefeitos e vereadores do PMDB no MS estiveram presentes puderam manifestar seus pensamentos em relação ao pleito eleitoral.

O encontro conduzido pelo presidente estadual do partido, deputado estadual Junior Mochi (PMDB) teve dois momentos, um destinado para as falas dos principais nomes indicados para representar o partido na disputa, que são: a vice-governadora Simone Tebet e o ex-prefeito de Campo Grande Nelsinho Trad e outro momento para que os prefeitos e vereadores presentes pudessem manifestar suas opiniões.

Nesta parte do evento tanto Nelsinho como Simone não estiveram presentes para não criar nenhum tipo de inibição por parte dos participantes.

Antes de saírem da sala, ambos os indicados disseram que estão unidos e à disposição do partido, e o nome que os membros e a população escolherem será abraçado por todos, sem que haja qualquer disputa interna. ”Não busco qualquer cargo majoritário e missão a gente não escolhe, a gente cumpre. Deste modo tanto o Nelsinho quanto eu estamos unidos e o que a equipe do PMDB escolher iremos abraçar sem nenhum clima de rivalidade interna”, comentou Simone Tebet.

Nelsinho elogiou o deputado Junior Mochi, como presidente do PMDB pelo modo como vem conduzindo todo o processo, com alto grau de equilíbrio e democracia e também falou da importância de se buscar unidade política em cima de um nome e trabalhar por ele.

Assim como Mochi, os prefeitos e vereadores também entendem que com toda a história de governo e desenvolvimento trazidos para o estado pelo PMDB, não tem como ficar fora da disputa. Segundo Mochi, o próximo passo é realizar uma pesquisa com a população e enfim homologar o nome do escolhido.