Logomarca

Um jornal a serviço do MS. Desde 2007 | Quinta, 9 de Dezembro de 2021

Política

CPI vai concluir ações no interior para marcar reunião com Adalberto Siufi

Segundo o parlamentar, a CPI tem seu prazo final marcado para o dia 23 de setembro, porém a tendência é o trabalho ser prorrogado.

Campo Grande News

21 de Agosto de 2013 - 13:16

A CPI da Saúde da Assembleia vai concluir nas próximas duas semanas as visitas ao interior do Estado para depois retornar a Campo Grande e marcar o depoimento do ex-diretor do Hospital do Câncer, Adalberto Siufi. O ex-secretário municipal de saúde, Luis Henrique Mandetta, também está incluído nos planos da comissão, no entanto o segundo depoimento da ex-secretária Beatriz Dobashi a princípio está descartado.

O presidente da comissão, o deputado estadual Amarildo Cruz (PT), afirmou que faltam quatro cidades - Corumbá, Nova Andradina, Naviraí e Ponta Por㠖 para concluir as reuniões do interior e depois retornar a Capital. “Depois vamos marcar tanto do Adalberto Siufi como de outros, esta agenda já estava no nosso planejamento”, destacou.

Segundo o parlamentar, a CPI tem seu prazo final marcado para o dia 23 de setembro, porém a tendência é o trabalho ser prorrogado. “Queremos chamar todos os gestores necessários e fazer as visitas as unidades de saúde para depois produzir o relatório final”, explicou.

Fatos Novos - Amarildo ponderou que se não existir fatos novos, a ex-secretária estadual, Beatriz Dobashi, não deve realizar um novo depoimento. “Temos que avaliar bem, pois chamar apenas por chamar não adianta, temos que ter conteúdo, senão fica uma reunião vazia, mas não está descartada”.

Agendado – A comissão irá ouvir amanhã o atual diretor do Hospital Universitário, Cláudio Wanderley Saab, a partir das 14h, na Assembleia. O presidente da CPI afirmou que não recebeu nenhum comunicado do gestor sobre uma possível falta ao encontro. De acordo com Amarildo, caso ele falte e não haja uma justificativa “plausível”, eles irão convocar novamente o diretor por condução coerciva.

Saab havia declarado que não iria a CPI por ter uma viagem agendada para Goiânia e Brasília e que sua presença não acrescentaria nada a comissão, pois esta há pouco tempo na direção do hospital. “Quem decide sobre o que é importante para CPI é a comissão”, respondeu Amarildo.