Logomarca

Um jornal a serviço do MS. Desde 2007 | Quarta, 10 de Agosto de 2022

Política

Daltro é confirmado na presidência do PMDB em convenção

A convenção peemedebista atraiu aproximadamente 150 filiados e simpatizantes ao plenário da Câmara Municipal.

Flávio Paes/Região News

24 de Agosto de 2015 - 09:45

O ex-prefeito de Sidrolândia, Daltro Fiúza, foi confirmado neste domingo na presidência do Diretório Municipal do PMDB e aclamado como virtual candidato do partido à Prefeitura em 2016, quando tentará voltar pela quinta vez ao comando do Executivo sidrolandense.

A convenção peemedebista atraiu aproximadamente 150 filiados e simpatizantes ao plenário da Câmara Municipal, além de contar com a presença do senador Waldemir Moka e do deputado federal Carlos Marun. Entre os presentes o vereador Nélio Paim e o ex-vereador Ademir Osiro, ambos do PR. 

Foi eleita a nova Executiva Municipal, os 35 membros, 11 suplentes do diretório, dois delegados à convenção regional, Comissão de Ética e Disciplina, além do Conselho Fiscal.

Além de Daltro, que foi reconduzido à presidência, integram a executiva o empresário Acelino Cristaldo, 1° vice-presidente que foi o candidato do PMDB na última eleição municipal; 2° vice é o produtor rural e ex-presidente do Sindicato Rural, Osório Straliotto; a secretária-geral é Maria Perdomo, ex-gerente de Habitação da Prefeitura; a ex-secretária de Saúde, Tânia Rossato, será a secretária-adjunta; o ex-vereador Jonas Rodrigues, tesoureiro; enquanto os vogais são Jabes Gabriel (representando a comunidade indígena) e Carlos Stefanello.

Os dois parlamentares que vieram prestigiar a convenção enalteceram a liderança de Daltro e mostraram confiança de que ele terá condições de vencer a eleição de 2016. O senador Moka e o deputado Marun, garantiram que a candidatura do ex-prefeito tem o respaldo da direção regional e os dois assumiram o compromisso de vir a Sidrolândia participar ativamente da campanha do ano que vem.

O cacique Valcélio Figueiredo, que depois de uma curta temporada fora do partido, voltou ao PMDB, aproveitou para cobrar dos representantes da bancada federal presentes (Moka e Marun), empenho para que haja uma solução do impasse em torno dos 15 mil hectares reivindicados como terra indígena na Reserva Buriti.

http://i.imgur.com/7LsuCgq.jpg

“Índio e fazendeiros não são inimigos, são brasileiros que precisam estar juntos no mesmo propósito em favor do Brasil”. O ex-prefeito fez questão de lembrar que após deixar o comando do Executivo Municipal continuou morando em Sidrolândia, contestando as insinuações que muda da cidade quando está fora do poder.

Daltro foi diplomático ao fazer uma avaliação do atual governo, mas garantiu que as dificuldades atuais decorram de uma suposta “herança maldita” deixada por ele quando encerrou sua última gestão. “Podemos provar que tudo estava dentro da normalidade”, dispara. Embora de forma cautelosa, evitando uma crítica mais contundente, o ex-prefeito estranhou que não tenham sido liberados recursos das emendas viabilizadas ainda durante sua administração.

“Não sei se faltaram projetos, se houve contingenciamento dos recursos. Estranho também que não se tenha buscado novas emendas nos últimos anos”, alfinetou. Daltro minimizou também as queixas do Governo em relação à queda de repasses do FPM (Fundo de Participação dos Municípios).

“Isto já estava acontecendo na mesma época. É necessário ajustar as despesas, dando prioridade aos serviços essenciais”, comentou.  Em relação às alianças partidárias, Daltro diz que por enquanto sua prioridade é fortalecer o PMDB, promovendo novas filiações para formar uma chapa forte de candidatos a vereador.