Logomarca

Um jornal a serviço do MS. Desde 2007 | Quarta, 8 de Dezembro de 2021

Política

David coleta assinatura para CPI do endividamento da Prefeitura de Sidrolândia

A atual gestão tem atribuído parte destas dificuldades as dívidas herdadas do ex-prefeito Daltro Fiuza.

Flávio Paes/Região News

24 de Setembro de 2013 - 10:43

O vereador David Moura de Olindo (PR) deve apresentar  na próxima sessão ordinária o requerimento para instalação de uma Comissão Parlamentar de Inquérito (CPI) para investigar o endividamento da Prefeitura de Sidrolândia compreendendo o período de 31 de dezembro de 2004 (quando Enelvo Felini encerrou sua última gestão), os oito anos de Daltro Fiuza na Prefeitura e agora os primeiros 9 meses da gestão tucana. 

 O vereador até ontem já tinha 9 assinaturas ao requerimento e espera atingir 11, com adesão de mais dois colegas. A CPI pretende levantar as causas das dificuldades financeiras enfrentadas atualmente pela administração municipal, obrigado a demitir mais de 220 funcionários, cortar gratificações e limitar o acesso a programas sociais como bolsa e o transporte universitário e fechar o posto 24  horas a partir da meia-noite, como medida de economia para manter o pagamento em dia.

A atual gestão tem atribuído parte destas dificuldades as dívidas herdadas do ex-prefeito Daltro Fiuza. Em janeiro, ainda durante a gestão interina do vereador Ilson Peres na Prefeitura, foi apresentado  balanço  com dívidas no valor de R$ 20,6 milhões, computando restos a pagar de curto prazo de R$  8,3 milhões, incluindo a folha de dezembro de aproximadamente R$ 3,5 milhões.

Quatro meses depois, em maio, esta dívida de curto prazo já tinha caído para R$ 3,4 milhões.  Hoje, conforme números do portal da transparência,  de janeiro até agora, houve o empenho de gastos no valor de R$  63 milhões, foram pagos R$ 59,3 milhões, restando pendências de aproximadamente R$ 4 milhões.

Semana passada, com os R$ 447 mil  que recebeu de valor extra de Fundo de Participação dos Municípios, foram pagos fornecedores que estavam há cinco meses sem recebe e acertados alguns repasses de convênios como os da APAE, Efrasidro, ONG é o Bicho. Para uma cidade com orçamento superior a R$ 100 milhões, Sidrolândia tem um endividamento relativamente pequeno.

Há uma dívida de R$ 1,7 milhão com a Enersul parcelada em 60 meses; R$ 400 mil de um financiamento contratado para obras de reforma e ampliação do paço municipal; R$ 5,5 milhões em dívidas parceladas com o INSS e mais R$ 5 milhões com o Previlândia.