Logomarca

Um jornal a serviço do MS. Desde 2007 | Sábado, 8 de Maio de 2021

Política

De volta à Câmara, Jean Nazareth, diz que Marcelo fez ‘jogada’ de mestre ao atrair o PMDB

Na opinião de Nazareth o futuro prefeito vai precisar de apoio político, buscar recursos no governo estadual e junto aos ministérios em Brasília.

Flávio Paes/Região News

13 de Novembro de 2016 - 23:15

Eleito com 339 votos, o ex-presidente da Câmara Municipal, Jean Nazareth (PT), volta ao Legislativo em 2017 como um dos cinco integrantes da base política do prefeito eleito.

Ele admite ter lhe faltado maturidade política quando ao ser preterido por um nome do PMDB (Wellison Muchiutti Hernandes), como candidato a vice-prefeito, fez duras críticas ao então candidato Marcelo Ascoli (PSL). “Hoje fazendo uma reflexão reconheço que foi uma jogada de mestre do dr. Marcelo que conseguiu trazer ao seu palanque o PMDB, um partido forte, com lideranças importantes”.

Jean nega que tenha sido uma escolha pessoal à indicação do pecuarista Paulo Atílio (seu cunhado) para comandar a Secretaria de Assistência Social. “Ele é homem experiente, já foi secretário de Administração. Sua escolha passou pelo crivo dos órgãos é de deliberação do PT”, assegura. Jean lembra que o partido foi importante na vitória do prefeito eleito na zona rural. “O deputado Zeca do PT esteve aqui várias vezes. Assim como os deputados Pedro Kemp, João Grandão. São lideranças identificadas com as bandeiras dos assentados, da população indígena”, avalia.

Foto: Reginaldo Mello/Região News

De volta à Câmara, Jean Nazareth, diz que Marcelo fez ‘jogada’ de mestre ao atrair o PMDB

Na opinião de Nazareth o futuro prefeito vai precisar de apoio político, buscar recursos no Governo Estadual e junto aos ministérios em Brasília, porque a Prefeitura não tem recursos próprios para fazer os investimentos. “Já temos assegurado uma emenda de R$ 1,1 milhão, do Zeca, para implantar a rede de água no Assentamento Nazaré”, lembra.

Em relação a Mesa Diretora, Jean diz que está à disposição, mas admite que seja preciso encontrar um nome de consenso. Confira os principais trechos da entrevista que ele concedeu ao Região News.