Logomarca

Um jornal a serviço do MS. Desde 2007 | Quarta, 3 de Março de 2021

Política

Derrotado nas urnas, Nelsinho anuncia rompimento com André e deve apoiar Reinaldo

A prioridade de André foi à eleição da vice-governadora Simone Tebet para a vaga do Senado

Da Redação/ Região News

06 de Outubro de 2014 - 07:40

O ex-prefeito Nelson Trad Filho, candidato do PMDB ao Governo, que terminou o 1º turno em 3º lugar com pouco mais de 16% dos votos, neste domingo, quando se preparava para votar, antecipou o rompimento político com o governador André Puccinelli, encerrando uma parceria que garantiu sua eleição e reeleição para prefeito de Campo Grande. Independente da posição que o PMDB adotará nesta segunda-feira,  o ex-prefeito vai apoiar no segundo turno a candidatura do deputado Reinaldo Azambuja, do PSDB.

“A partir de agora cada um vai seguir seu caminho”, numa alusão ao governador, a quem reservadamente acusa de não apoiá-lo, atuando nos bastidores pela eleição em primeiro turno do senador Delcidio do Amaral, candidato do PT.

A prioridade de André foi à eleição da vice-governadora Simone Tebet para a vaga do Senado. Ao decidir abandonar o candidato do seu partido, Puccinelli estaria simplesmente dando o troco a Nelsinho, que 2012 não se engajou na campanha de Edson Giroto, derrotado por Alcides Bernal.

Além de se manter ausente da campanha, André teria “turbinado” as candidaturas a deputado federal de Carlos Marun e Tereza Cristina, promovendo um rolo compressor que comprometeu a reeleição de Fábio Trad, irmão de Nelsinho, que acabou apenas como 1º suplente de deputado federal, com pouco mais de 67 mil votos.

Outra reclamação é de que o governador teria lançado a candidatura a deputado estadual da ex-mulher de Nelsinho, Antonieta Amorim, com intuito de minar a base eleitoral de Marquinhos, que mesmo assim conseguiu se manter com o mais votado.   

Como o governador tem o controle do PMDB, a tendência é que Nelsinho e o seu grupo político migrem para o PSD, onde haveria espaço para seu irmão Marquinhos Trad, reeleito o deputado estadual mais votado, viabilizar seu projeto de disputar a prefeitura de Campo Grande em 2016. Uma eventual vitória de Azambuja para o Governo do Estado abriria caminho par aliança com os tucanos, já que o PSD  está no palanque de Reinaldo.

Marquinhos é considerado um nome competitivo para disputar a Prefeitura da Capital. Nelsinho perdeu a eleição de forma clamorosa. Ficou atrás de Delcidio e Reinaldo, que obteve mais de 40% dos votos.