Logomarca

Um jornal a serviço do MS. Desde 2007 | Quarta, 10 de Agosto de 2022

Política

Descontente com comando do PSL, Cid Pinheiro deixa partido e provoca debandada

Cid Pinheiro deve migrar para o Partido Popular Socialista (PPS), hoje sob o comando do contabilista Cledson Joanes Brandão.

Marcos Tomé/Região News

01 de Outubro de 2015 - 09:27

O jornalista Alcides Celestino Pinheiro, 55 anos, alegando descontentamento com o comando municipal do Partido Social Liberal – PSL -, do qual é membro, após se reunir com seu grupo politico no final da tarde de ontem (30), anunciou sua saída. As relações entre “Cid Pinheiro” e Clayton Ortega, presidente do diretório municipal da sigla, ficaram estremecidas após a filiação, no ultimo dia 23 de setembro, do vice-prefeito Marcelo Ascoli.

Em sua avaliação, houve uma manobra “às escuras” para atrair Ascoli ao partido, isto porque, só foi informado depois do rompimento de Ortega, que deixou a Secretaria de Esportes, Juventude e Lazer, motivada pelo fim de sua cedência do Estado. “Vejo que foi uma decisão unilateral do presidente. Ninguém foi consultado desta situação. Fomos pegos de surpresa”, revela Cid Pinheiro, que responde pela chefia da comunicação da prefeitura.

“O motivo é o compromisso assumido com a atual administração. Não vejo motivo para um rompimento como o que foi estabelecido”, ressalta. Um grupo formado por 56 pessoas deve acompanha-lo nesta decisão. Para o jornalista, a situação ficou insustentável porque o PSL era um dos partidos da base aliada da gestão Ari Basso.

“Tenho grande admiração pelo dr. Marcelo Ascoli, uma pessoa que sempre terá meu respeito. Não é nada pessoal, aliás, continuaremos grandes amigos, mas não posso compactuar com a forma com que as coisas caminharam partidariamente”, destaca.

Cid Pinheiro deve migrar para o Partido Popular Socialista (PPS), hoje sob o comando do contabilista Cledson Joanes Brandão, atual presidente da Comissão Municipal Provisória. O comunicador filiou-se no PSL em 2011, foi candidato a vereador no ano seguinte, obteve 279 votos, 7 votos a menos que Cledinaldo Cotocio (PP), que acabou eleito pela coligação, Sidrolândia para todos II.