Logomarca

Um jornal a serviço do MS. Desde 2007 | Domingo, 9 de Maio de 2021

Política

Disputa pela presidência da Câmara gera tensão entre Marcelo e o PMDB

Diante disso, Ascoli abandonou a reunião e foi embora da casa de Rossato, favorável a escolha do vereador Professor Tadeu.

Flávio Paes/Região News

29 de Dezembro de 2016 - 08:34

As articulações em torno da eleição do futuro presidente da Câmara,  no próximo domingo, estão criando um clima de tensão entre o prefeito eleito Marcelo Ascoli e o PMDB, detentor da maior bancada na futura composição do Legislativo, partido do vice-prefeito e que indicou os titulares de duas das mais influentes secretarias (Infraestrutura e de Saúde). O produtor Valquirio Rossato, um dos descontentes, na presença dos três futuros vereadores peemedebistas, criticou duramente Marcelo por ele ter anunciado apoio ao petista Jean Nazareth. Diante disso, Ascoli abandonou a reunião e foi embora da casa de Rossato, favorável a escolha do vereador Professor Tadeu.

Os vereadores eleitos preferiram colocar panos quentes, assegurando que o desentendimento do prefeito e do produtor Valquirio Rossato aconteceu num momento de tensão da conversa, não significando um rompimento do partido com a futura administração. “Acredito que o Valquirio e o prefeito vão se entender”, disse um dos vereadores à reportagem do Região News, que preferiu ter sua identidade preservada. A rusga não chegaria ao ponto de colocar em risco a indicação do vereador Nélio Paim (genro de Valquirio) para a Secretaria de Saúde.

A bancada do PMDB vai estar na base da nova gestão, mas continuará a articulação para tentar viabilizar o nome do professor Tadeu como presidente. “Estamos conversando com todos os colegas e acho possível um entendimento até domingo”, opina a mesma fonte.

O processo sucessório da futura Mesa Diretora está longe da definição, com uma ligeira vantagem para Jean Nazareth, que tem como trunfo o apoio do futuro prefeito. Em favor dele estaria articulando até o presidente da Câmara, David Olindo, que tem garantido o voto do seu filho, Carlos Henrique.

Olindo acredita que (sem contar o PMDB), Marcelo Ascoli tem garantidos 9 votos para fazer a nova Mesa Diretora. “Há pelo menos três vereadores que se elegeram no palanque do PSDB, neste grupo”, assegura, sem mencionar quais seriam os outros dois, além do seu filho.