Logomarca

Um jornal a serviço do MS. Desde 2007 | Domingo, 29 de Novembro de 2020

Política

Dois anos após eleição de Bolsonaro, militares aumentam em 39% nas urnas de MS

Campo Grande News

23 de Outubro de 2020 - 16:32

Manifestação política, em 2018, pedindo intervenção militar no País Foto: Arquivo/Campo Grande News

Dois anos após eleição do presidente Jair Bolsonaro (atualmente sem partido), a força nas urnas do discurso pró-Forças Armadas ainda parece empolgar. O número de candidatos que se declararam militares aumentou aproximadamente 39,47% entre os municípios de Mato Grosso do Sul.

Para as eleições municipais de 2016, eram três candidatos membros das forças armadas e 35 militares reformados. Para o pleito de 2020, são 11 militares em atividade e 42 reformados. Maior parte dos candidatos no Estado deve concorrer pelo PSL (Partido Social Liberal), partido que lançou candidatura de Bolsonaro a nível nacional.

PSD (Partido Social Democrático) vai lançar sete candidaturas, além do Patriota (5), Partido Progressista (4), Republicanos (4), Democratas (3), MDB (3), PDT (3), PSB (3), PTB (3), Partido Liberal (1), PSC (1), PSDB (1), PV (1) e PT (1).

Ocupam cargos - Além disso, o Estado tem seis militares reformados que foram eleitos nas eleições passadas.

Quatro deles tentam reeleição - Maximo Carlos Guimarães (MDB) em Batayporã, Adauto Alves de Macedo (DEM) em Rochedo e José Carlos de Matos Mauro (PSD), que mudou ocupação para “vereador” em Itaporã.

Além deles, o agora declarado “vereador” Ademir Souza Almeida (DEM) tenta cargo de prefeito da cidade de Guia Lopes da Laguna. Em outros cargos de segurança pública, houve baixo aumento ou até redução no número de candidaturas. Eram 14 bombeiros em 2016, e agora são 11.

Foram 21 policiais civis nas últimas eleições e são 14 nas deste ano. Entre policiais militares, foi de 44 para 46. Nas últimas eleições, ao todo, cinco policiais foram eleitos.