Logomarca

Um jornal a serviço do MS. Desde 2007 | Quinta, 2 de Dezembro de 2021

Política

Domingo Espetacular leva ao País o drama de ex-catadora que espera receber de Bernal

A ex-catadora denunciou que até o agosto deste ano desconhecia o fato de possuir uma indenização de R$ 150 mil

Midiamax

22 de Setembro de 2013 - 22:26

Foto: Poi RedondoNo especial da semana. Foi com esse nível de destaque que a Rede Record levou para uma audiência nacional a realidade de Dilá Dirce de Souza, já denunciada pelo Midiamax em três reportagens.

Como noticiado, Dona Dilá contratou o então advogado Alcides Bernal para defendê-la de danos físicos e morais por conta de um atropelamento no lixão de Campo Grande por um caminhão de lixo da empresa Veja Ambiental, no ano de 1999.

A ex-catadora denunciou que até o agosto deste ano desconhecia o fato de possuir uma indenização de R$ 150 mil, e que o ex-advogado havia sacado da conta judicial ligada ao processo, altas importâncias.

Segundo Dona Dilá, desde 2003 Alcides Bernal não lhe forneceu mais informações sobre o andamento da ação, que chegou a ser arquivada em 2009, e que só foi reaberto em virtude da contratação de um novo advogado pela cliente, Rubens Pereira de Deus. “Já liguei várias vezes pra tentar falar com ele mas sempre me dizem que está viajando ou em alguma reunião. Nunca sou atendida” disse a ex-catadora na reportagem da Rede Record.

Frente a Frente

A reportagem do programa Domingo Espetacular tentou promover um encontro da ex-catadora com o Alcides Bernal, que não aconteceu mesmo com espera de meia hora. Dona Dilá foi levada ao gabinete do prefeito, que estava no Paço Municipal, mas recusou-se a atender.

A emissora contou na reportagem especial que a OAB (Ordem dos Advogados do Brasil – Seccional de Mato Grosso do Sul) estuda o caso e pode cassar a licença profissional de Alcides Bernal, caso seja comprovada a apropriação indébita com a ex-catadora.

Segundo o Domingo Espetacular, o atual prefeito de Campo Grande depois de assumir o cargo no executivo municipal já teve que pagar uma indenização a outro cliente do seu escritório jurídico por desistir de um processo.