Logomarca

Um jornal a serviço do MS. Desde 2007 | Sexta, 26 de Fevereiro de 2021

Política

Em Sidrolândia, PT pode fica isolado na campanha de Delcídio no 2º turno

Neste segundo turno o petista deve contar apenas com o seu partido, já que as principais lideranças dos partidos da sua coligação (PR, PDT) devem apoiar Reinaldo

Flávio Paes/Região News

10 de Outubro de 2014 - 10:21

Não é só no âmbito estadual que está havendo uma migração de lideranças e partidos em direção à candidatura  ao Governo do Estado do deputado federal Reinaldo Azambuja, levando ao isolamento seu adversário, o petista Delcídio do Amaral. Em Sidrolândia este cenário se reproduz. 

Neste segundo turno o petista deve contar apenas com o seu partido, já que as principais lideranças dos partidos da sua coligação (PR, PDT)  devem apoiar Reinaldo ou simplesmente vão cruzar os braços. O PMDB local deve superar suas divergências paroquiais com o PSDB e na sucessão estadual vão subir no palanque tucano. Na segunda-feira o ex-prefeito Daltro Fiuza tem reunião agendada com Reinaldo em Campo Grande.

http://i.imgur.com/fOftpB4.jpgO grupo que  apoiou a candidatura do deputado Fábio Trad em Sidrolândia que agregou lideranças do PR e do PSDB vai caminhar com Reinaldo. A exceção será o vereador Nélio Paim, que vai ficar fora da campanha por conta da rivalidade com os tucanos de sidrolandenses. Nelinho não seguirá a orientação do ex-vereador Ademir Osiro (um dos seus mentores políticos) e do próprio sogro, Valquirio Rossato, que atenderá a recomendação do senador Waldemir Moka de apoio a Azambuja.

Na terça-feira está programada uma reunião na casa do empresário Jair Nascimento que embora seja do PSDB, apoiou a candidatura de Fábio Trad. “Vamos  definir a estratégia de ação deste grupo” informa Osiro. Logo na segunda-feira, dia seguinte da eleição, Reinaldo ligou para Ademir Osiro pedindo seu apoio.

“Vamos acompanhar a decisão do Nelsinho e do Fábio, que neste segundo turno estão com  o PSDB” declara Ademir. Nesta sexta-feira ele participa em Campo Grande de uma reunião com os coordenadores da campanha de Fábio Trad para definir o papel que cada um desempenhará neste segundo turno.  

O vereador Nelinho chegou a procurar os vereadores petistas para que eles encabeçassem um movimento suprapartidário de apoio a Delcidio na cidade, que poderia envolver também o Solidariedade dos vereadores David Olindo, Jurandir Cândido e Marcos Roberto. O quarto integrante da bancada do SDD, Mauricio Anache, declarou voto em Delcidio, mas, apoiou a reeleição do deputado federal Fábio Trad.  Esta articulação não prosperou porque os próprios petistas não mostraram muita disposição.

Vadinho hoje está muito mais preocupado em resolver as pendências financeiras da sua campanha a deputado, quando foi literalmente abandonado pelo comando central do candidato ao Governo, que com a campanha de Delcidio no segundo turno. Marcos Roberto, que fez para campanha par ao deputado Geraldo Resende, deve seguir a orientação do parlamentar reeleito e apoiar o tucano.

http://i.imgur.com/bxj8Y3f.jpgAs lideranças do PDT de Sidrolândia também não mostram muita disposição de sair em campo para pedir voto para Delcídio. Embora o partido estivesse na coligação do senador, ele simplesmente esnobou a Executiva Municipal do partido. Mesmo com a intermediação do vereador Edivaldo dos Santos, o presidente do diretório, vereador Waldemar Acosta, assim como lideranças do  partido como o secretário Antônio Galdino, não conseguiram ser recebidos pelo candidato.

Após seis tentativas frustradas de agendamento, o próprio Vadinho desistiu da missão.  Outro vereador pedetista, Edno Ribas, já no primeiro turno fez campanha para Azambuja.