Logomarca

Um jornal a serviço do MS. Desde 2007 | Quarta, 8 de Dezembro de 2021

Política

Fábio cobra reforço na estrutura policial da fronteira para combater o tráfico de drogas e contrabando

O cenário atual, segundo o parlamentar, é de uma fronteira praticamente “escancarada” contando com o monitoramento de somente 97 policiais federais

Flávio Paes/Região News

19 de Setembro de 2013 - 08:16

O deputado federal Fábio Trad (PMDB-MS) em pronunciamento na Câmara dos Deputados cobrou do Ministério da Justiça reforçar a estrutura das Policiais Federal e Rodoviária Federal para coibirem o contrabando e o tráfico de drogas nos 730 quilômetros de fronteira seca de Mato Grosso do Sul com Paraguai e a Bolívia. “Faço um apelo ao ministro da Justiça, José Eduardo Cardozo, para que viabilize os investimentos necessários em pessoal, armamento, viaturas e unidades de controle nas duas corporações”.  

O cenário atual, segundo o parlamentar, é de uma fronteira praticamente “escancarada” contando com o monitoramento de somente 97 policiais federais, o que acaba favorecendo a atuação de organizações criminosas ligadas ao tráfico de drogas, armas e ao contrabando.

Com base em informações do juiz federal Odilon de Oliveira, o deputado lembra que o Paraguai é o segundo produtor mundial de maconha e a Bolívia está em segundo lugar no ranking mundial da produção de cocaína. “Toda essa estrutura criminosa é favorecida com o sucateamento da Polícia Federal”, observa.  Em seu pronunciamento Fábio comentou material jornalístico publicado na imprensa regional sobre a vulnerabilidade da fronteira com a Bolívia, facilitando a entrada de combustível contrabandeado. 

Conforme denúncia do presidente do Sindicato dos Policiais Federais de Mato Grosso do Sul, Jorge Luiz Ribeiro Caldas, as condições de trabalho da categoria pioraram com o contingenciamento de verbas, que tem retardado investimentos como os das novas delegacias em Corumbá e Ponta Porã, que há mais de dois anos tem área doada, mas a construção não sai do papel.

As mesmas dificuldades são enfrentadas pela Polícia Rodoviária Federal. Fábio Trad lembrou que o posto de Corumbá só foi reativado, após permanecer dois anos fechado, graças a uma ação civil pública proposta pelo Ministério Público Federal em outubro de 2011.

O MPF apurou que em apenas cinco anos, a 3ª Delegacia de Polícia Rodoviária Federal de Anastácio, cuja circunscrição abrange Corumbá, teve uma redução de quase 50% de seu efetivo. Em 2006, eram 57 policiais; em 2011, apenas 33 atendiam a demanda de toda a região.