Logomarca

Um jornal a serviço do MS. Desde 2007 | Sábado, 26 de Setembro de 2020

Política

Governo transfere R$ 83,9 milhões do Bolsa Família para a Secretaria de Comunicação

Transferência foi motivada por baixa execução do programa, já que beneficiários podem optar pelo Bolsa Família.

G1

04 de Junho de 2020 - 16:30

Portaria publicada na edição desta quinta-feira (4) do "Diário Oficial da União" informa que o governo transferiu R$ 83,9 milhões de recursos do programa Bolsa Família para a comunicação institucional do Palácio do Planalto.

Segundo a portaria, assinada pelo secretário especial da Fazenda, Waldery Rodrigues, o recurso seria destinado ao Bolsa Família na região Nordeste.

Segundo uma fonte do Ministério da Economia, a transferência se deu por uma demanda da Secretaria de Comunicação da Presidência da República e foi motivada pela baixa execução do Bolsa Família, principalmente em razão do pagamento do auxílio emergencial

Isso ocorreu porque o programa está com uma baixa execução, principalmente por causa do pagamento do auxílio emergencial de R$ 600, superior ao benefício médio do Bolsa Família (R$ 188,16 em março). Os beneficiários do Bolsa Família podem optar por receber o auxílio emergencial de R$ 600 se for mais mais vantajoso.

A transferência de recursos para a Secretaria de Comunicação se dá em um momento em que governo e Congresso Nacional discutem a prorrogação do auxílio emergencial.

Originalmente, o auxílio emergencial será pago em três parcelas. A equipe econômica tem defendido uma prorrogação, mas com um valor menor. O presidente da Câmara, deputado Rodrigo Maia (DEM-RJ), é favorável ao pagamento do auxílio no valor de R$ 600 por mais 60 dias.

Na tarde desta quinta-feira, a Secretaria de Comunicação da Presidência publicou a seguinte mensagem sobre o assunto em uma rede social:

Imprensa diz: "Governo retirou R$ 83,9 MI do Bolsa Família".

Vamos ver quanto o Governo COLOCOU no Bolsa:

- 2019: R$33,6 BILHÕES (4 BI a mais que 2018).

- 2020: R$15,1 BILHÕES A MAIS por mês (abril e maio) pagos através do Auxílio Emergencial, contemplando 95% dos beneficiários.