Logomarca

Um jornal a serviço do MS. Desde 2007 | Terça, 22 de Setembro de 2020

Política

Mato Grosso do Sul terá semana dedicada à prevenção e combate a queimadas

Lei publicada nesta sexta-feira (20) no Diário Oficial institui a Semana Estadual de Conscientização, Prevenção e Combate à Prática de Queimadas Urbanas.

G1 MS

20 de Dezembro de 2019 - 15:27

Mato Grosso do Sul terá semana dedicada à prevenção e combate a queimadas

A partir de 2020, a segunda semana do mês de agosto, em Mato Grosso do Sul, será dedicada à prevenção e ao combate a queimadas. Lei publicada no Diário Oficial desta sexta-feira (20) institui a "Semana Estadual de Conscientização, Prevenção e Combate à Prática de Queimadas Urbanas".

O objetivo da semana de prevenção é orientar servidores e prestadores de serviço, reduzir a quantidade de queimadas, de atendimentos pelo SUS por problemas respiratórios, os danos à fauna e à flora e a emissão de gases poluentes.

Conforme a lei, durante os dias da semana de prevenção, serão realizadas palestras, haverá distribuição de material informativo de combate a queimada nas unidades de saúde, veiculação de campanhas educativas, mobilização de todas as repartições estaduais e concessionárias de rodovia.

Ainda de acordo com a lei, os órgãos fiscalizadores deverão reforçar o trabalho e os donos de terrenos baldios serão notificados a adotarem medidas anti-incêndio. Caberá ao estado se mobilizar para a realização de limpeza, recolhimento de materiais depositados e implantar aceiros nas áreas envoltórias dos parques estaduais, praças e propriedades estaduais suscetíveis

Os recursos financeiros para cumprimento da lei poderão "ser obtidos mediantes parceria com empresas de iniciativa pública e privada".

Queimadas

O ano de 2019 ficou marcado por grandes queimadas no Pantanal de Mato Grosso do Sul. Em setembro, o fogo destruiu pelo menos 35 mil hectares de uma fazenda em Miranda, onde há trabalho de pecuária, turismo e pesquisas ambientais.

Diversos municípios decretaram emergência após a constatação de 1 milhão de hectares em chamas. Foi preciso ajuda de bombeiros de outros estados e 'do céu' para o controle do fogo. As queimadas controladas ficaram proibidas até 30 de novembro.

Em novembro, o Pantanal voltou a ser atingido pelo fogo. Foram destruídos 161 mil hectares de vegetação, animais morreram e a região foi tomada por fumaça. Por conta disso, houve aumento na procura por médico devido a problemas respiratórios. Mais uma vez foi preciso ajuda de bombeiros de bombeiros de outros estados e da chuva.