Logomarca

Um jornal a serviço do MS. Desde 2007 | Domingo, 5 de Dezembro de 2021

Política

Planalto apoia ministro para manter PDT na base aliada

Nos bastidores, a saída do PDT é vista como um movimento arriscado: partidos médios no Congresso são sendo cortejados tanto pelo PT quanto pela oposição para a eleição de 2014.

Folha.com

19 de Setembro de 2013 - 10:37

Para não perder o apoio do PDT, o Palácio do Planalto montou nesta quarta (18) uma operação para segurar o ministro do Trabalho, Manoel Dias.O ministério vive uma crise depois que a Polícia Federal deflagrou operação que prendeu integrantes da cúpula da pasta.

Enquanto colegas de Esplanada e assessores presidenciais se apressam em dizer que não há até agora nada que justifique a saída do pedetista do cargo, a cúpula do PDT deixou a decisão com Manoel Dias.

A legenda, porém, não indicará mais ninguém para a vaga ou para qualquer outra pasta até o fim do governo Dilma. Sob o comando do PDT, o ministério tem sido alvo de acusações de desvios em convênios.

Apesar de querer evitar a demissão do ministro, integrantes do governo consideraram "destrambelhada" sua entrevista ao jornal "O Globo". Nela, ele afirma, em tom de ameaça, que, se for demitido, "tomará providências".

"Ele [o ministro] admitiu que essa entrevista que saiu hoje não foi feliz. Estava até querendo fazer um pedido de desculpas formal", afirmou o líder do partido na Câmara, André Figueiredo (PDT-CE).

Nos bastidores, a saída do PDT é vista como um movimento arriscado: partidos médios no Congresso são sendo cortejados tanto pelo PT quanto pela oposição para a eleição de 2014.