Logomarca

Um jornal a serviço do MS. Desde 2007 | Sábado, 4 de Dezembro de 2021

Política

Pré-candidato do PT ao governo, Delcídio descarta chapa pura para acomodar aliados

Apesar do encontro, Delcídio não deu detalhes da conversa, limitando-se a dizer que está apenas “paquerando” o grupo político liderado pelo cardeal republicano.

Willams Araújo/Cojuntura Online

17 de Agosto de 2013 - 11:00

Pré-candidato do PT à sucessão do governador André Puccinelli (PMDB) em 2014, o senador Delcídio do Amaral descarta disputar as eleições com chapa pura, possibilidade que chegou a ser cogitada por setores do partido diante das dificuldades de compor aliança com outras legendas em Mato Grosso do Sul.

Delcídio planeja encabeçar uma chapa majoritária enxuta e composta por partidos que geralmente acompanham o PT, quer no plano nacional ou estadual.

Particularmente, o senador diz que o PT não vai participar das eleições com chapa pura, ou seja, indicando os candidatos ao governo e a vice porque precisa “dar oportunidade a aliados”.

No entanto, rechaça a ideia de “inchar” o palanque somente para assegurar alguns minutos no horário eleitoral gratuito de rádio e televisão durante a campanha.  Principal adversário do PMDB no Estado, Delcídio assegura ter conversado normalmente com dirigentes e lideranças políticas do PR, PDT e PSD, além de PSDB, único partido que faz oposição ao governo da presidente Dilma Roussef.

Na quarta-feira, o petista teve uma longa conversa com o presidente regional do PR, deputado estadual Londres Machado, com quem trocou impressões a respeito do processo sucessório estadual.

Apesar do encontro, Delcídio não deu detalhes da conversa, limitando-se a dizer que está apenas “paquerando” o grupo político liderado pelo cardeal republicano.  O senador também deve manter contatos com os presidentes regionais do PSD, Antonio João Hugo Rodrigues, e do PDT, João Leite Schmidt.

CONFRONTO

Visto como favorito, apesar da distância até as eleições, Delcídio deu dicas, pela primeira vez, que tem preferência por esse ou aquele adversário ao apontar  sua simpatia pelo nome da vice-governadora Simone Tebet, que divide a indicação no PMDB com o ex-prefeito de Campo Grande, Nelsinho Trad.

Ele também aposta no confronto com um PMDB menos estruturado. “A sorte está lançada! O PMDB/MS lança chapa pura em 2014”, postou o senador  em seu Twitter, ao comemorar declarações feitas por André Puccinelli ao insinuar  Nelsinho para o governo e Simone para o Senado.

Durante entrevista à imprensa na quarta-feira (14), no ato de inauguração de uma unidade do hospital do Câncer de Barretos, na Capital,  o governador revelou pela primeira vez que sua preferência é que o candidato do PMDB seja Nelsinho, postura que repetiu publicamente na quinta-feira no lançamento do MS Forte 2, no Clube Estoril, na presença de diversas lideranças políticas estaduais.

Apesar da boa relação que mantém com o comando regional do PSDB desde as eleições para prefeito da Capital, Delcídio poderá ter de enfrentar o deputado federal Reinaldo Azambuja nas eleições do ano que vem.

Motivado pela expressiva votação que obteve no pleito passado, o deputado tucano estuda a possibilidade de disputar o governo dentro do projeto arquitetado pelo diretório nacional do PSDB, que opera para eleger o senador Aécio Neves (MG) presidente da República em 2014.