Logomarca

Um jornal a serviço do MS. Desde 2007 | Segunda, 25 de Janeiro de 2021

Política

Principais secretários de Bernal estão envolvidos em grandes escândalos

A situação incômoda está também a vereadora licenciada Thais Helena (PT), nomeada para Secretaria Municipal de Assistência Social

Correio do Estado

11 de Janeiro de 2013 - 09:06

Os principais secretários municipais nomeados pelo prefeito Alcides Bernal (PP) - que assumiu prometendo nomear só ficha limpa - estão envolvidos em escândalos de grande repercussão na opinião pública. O que mais ganhou proporção foi ação civil de improbidade administrativa proposta pelo Ministério Público Federal para investigar o supersecretário de Receita e de Relações Institucionais, Gustavo Freire, de cobrar propina para liberação de cargas de empresa petrolífera.

Outro é o secretário de Infraestrutura, Transporte e Habitação, Semy Ferraz. Ele é suspeito de participar de esquema de aplicação irregular de recursos do PAC (Programa de Aceleração do Crescimento) quando ocupava a direção do SAERB (Saneamento de Água e Esgoto de Rio Branco), no Acre.

A situação incômoda está também a vereadora licenciada Thais Helena (PT), nomeada para Secretaria Municipal de Assistência Social. Ela foi gravada pelo jornalista Eleandro Passaia cobrando R$ 200 mil por serviços prestados à campanha do então prefeito de Dourados Ari Artuzi (sem partido).

O secretário Municipal de Administração, Ricardo Trefzger Ballock, responde três processos de execução por falta de pagamento do Imposto Predial e Territorial Urbano (IPTU) que totalizam R$ 5.980. Todos os processos já estão sob cuidados do juiz de Direito.

O diretor-presidente da Fundação Municipal de Cultura (Fundac), Júlio César Cabral – o marqueteiro da campanha eleitoral do prefeito Alcides Bernal (PP) – é investigado pelo Ministério Público Estadual (MPE) por causa de repasses de R$ 1,8 milhão durante o governo do petista José Orcírio dos Santos a empresas de publicidade, entre elas a C&G Publicidade, Comunicação e Marketig LTDA de propriedade de Júlio César.