Logomarca

Um jornal a serviço do MS. Desde 2007 | Quinta, 26 de Maio de 2022

Política

Projeto de Bolzan proíbe lotação, uso de Uber e gera polêmica com prestadores de serviços

Bolzan argumenta que as lotações hoje estão comprometendo o rendimento dos taxistas regularmente estabelecidos.

Flávio Paes/Região News

18 de Outubro de 2015 - 22:28

O vereador Sérgio Bolzan (PT) protocolou projeto que proíbe as lotações e aqueles que eventualmente resolverem usar o Uber, um aplicativo de celular desenvolvido nos Estados Unidos, já adotado nos grandes centros urbanos brasileiros, que permite a qualquer pessoa oferecer um serviço semelhante ao táxi tradicional, conhecido popularmente como serviços de “carona remunerada”. Atualmente Sidrolândia tem 26 táxis regulares.  

Bolzan argumenta que as lotações estão comprometendo o rendimento dos taxistas regularmente estabelecidos. “Se os donos de lotações quiserem se regularizar, que tirem licença na prefeitura e paguem as taxas como os taxistas”, sustenta o vereador. Ele diz que é contra as lotações dentro do perímetro urbano, zona rural e o distrito de Quebra Coco.

Os donos de lotação que transportam passageiros para Campo Grande prometem reagir. “Vamos fazer uma carreata da praça central até a Câmara, para mostrar que nosso serviço não atrapalha os taxistas”, garante Alberi de Abreu. Segundo ele, atualmente são 15 veículos fazendo este serviço que ele garante ficar limitado ao trajeto até a Capital.

“Grande parte da população que depende de lotação, são pessoas idosas, especiais, com fraturas, que precisam pegar esses carros  que os pegam em suas casas e os levam até as clinicas onde estão fazendo tratamento em Campo Grande”. Ele critica Bolzan e questiona: “porque ao invés de proibir, não regulamenta o serviço de lotação?”.