Logomarca

Um jornal a serviço do MS. Desde 2007 | Quarta, 10 de Agosto de 2022

Política

Projeto de terceira via de Ascoli não empolga classe política e esvazia dois partidos

O PROS vai ganhar musculatura, com a entrada do vereador Cledinaldo Cotócio, que há quase 15 dias estava sem partido.

Flávio Paes/Região News

02 de Outubro de 2015 - 13:53

A pretensão do vice-prefeito Marcelo Ascoli de migrar para o PSL, rompendo com o PSDB, para construir um projeto de terceira via para disputar a Prefeitura de Sidrolândia, até agora, além de não ter empolgado a classe política local, acabou produzindo um efeito contrário: o esvaziamento de dois partidos, o Democratas e o próprio PSL, que na eleição de 2012, teve um bom desempenho, quase elegendo um vereador (Cid Pinheiro) e contribuiu para eleição de Cledinaldo Cotócio, na época, filiado ao Partido Progressista – PP.

Uma das primeiras vítimas da “terceira via”, foi o próprio Partido Social Liberal, que além de ficar sem a Secretaria que ocupava no governo (a da Juventude, Esporte e Lazer), perdeu sua liderança de maior densidade eleitoral, Cid Pinheiro, que teve 279 votos, sete votos a menos que os 286 alcançados pelo vereador Cledinaldo. Cid e outros 56 filiados deixarão a sigla, reagindo à entrega do partido ao vice-prefeito.

O efeito também será devastador ao Democratas, que além de deixar de receber seu primeiro vereador, Cledinaldo Cotócio, que estava na eminencia de se juntar ao partido, perdeu toda a Executiva, incluindo a presidente Solangi Stefanello, que foi vice-prefeita na gestão do ex-prefeito Daltro Fiúza.

O grupo vai para o PROS (Partido da República da Ordem Social) que é controlado em Sidrolândia por lideranças ligadas aos tucanos, entre elas o ex-subprefeito de Quebra Coco, Juscelino Pereira (candidato a vereador em 2012 com 212 votos), que em 2013 abortaram a tentativa do presidente da Câmara, David Olindo, junto  com outros três vereadores, de assumirem a legenda.

O PROS vai ganhar musculatura, com a entrada do vereador Cledinaldo Cotócio, que há quase 15 dias estava sem partido depois que resolveu se desfiliar do PP e de toda Executiva do Democrata, destituída por Zé Teixeira. No grupo estão à ex-presidente Solangi Stefanello; Sérgio Cabral (ex-vice); Alcione Martins, secretário-geral; Diecson Ferreira Machado, o Duda (tesoureiro), além dos filiados Antônio Carlos, Ludimar Acosta Martins.

O coordenador municipal de Habitação, Lo Lun, que saiu do PTB, partido que agora esta sob a influência política do vereador Nélio Paim e do ex-vereador Ademir Osiro, também se filiou a legenda, além do presidente da Fundação de Cultura, Adilson Brito.