Logomarca

Um jornal a serviço do MS. Desde 2007 | Quarta, 8 de Dezembro de 2021

Política

PT do B deve ser tratado como partido grande”, diz deputado

De acordo com ele, esta nova condição foi repassada ao ex-prefeito Nelsinho Trad (PMDB) e será apresentada ao senador Delcídio do Amaral (PT), em reunião que ainda será agendada.

Campo Grande News

30 de Setembro de 2013 - 09:18

O deputado estadual Osvane Ramos (PT do B) afirmou que as lideranças que pretendem formar uma aliança com o PT do B em 2014 precisam tratá-lo em sua nova condição políticas, que segundo ele é de partido de médio-grande porte, articulando espaço no governo estadual e uma participação mais efetiva nas decisões políticas.

“O PT do B deve ser tratado como partido grande, e não como uma nova legenda em que pode ser comandada por grupos políticos, não somos mais peemedebezinho e sim petesão do B”, afirmou o deputado.

De acordo com ele, esta nova condição foi repassada ao ex-prefeito Nelsinho Trad (PMDB) e será apresentada ao senador Delcídio do Amaral (PT), em reunião que ainda será agendada. “O partido deve ouvir todas alternativas e por escolha própria e não imposição, decidir o seu futuro”, apontou.

Osvane ainda ressaltou que o partido não vai admitir que novos nomes sejam colocados na legenda sem que haja uma discussão interna e uma avaliação do perfil. “Não quero ser surpreendido, os filiados não podem receber uma notícia de surpresa sem antes discutir sobre os novos membros”, destacou ele.

Crescimento – A deputada Mara Caseiro (PT do B) destacou que houve um crescimento efetivo do PT do B nas últimas eleições e que este novo cenário deve ser levado em conta no Estado. “Temos prefeitos, três deputados estaduais e três vereadores em Campo Grande, merecemos um espaço maior na política e já colocamos isto como condição”, ressaltou.

Caseiro revelou que Nelsinho reconheceu este crescimento na última reunião realizada na semana passada e que os interessados precisam ter esta mentalidade. “A tendência é o partido seguir com o PMDB, mas vamos ouvir o senador Delcídio e o Reinaldo Azambuja se ele nos procurar”.