Logomarca

Um jornal a serviço do MS. Desde 2007 | Segunda, 21 de Setembro de 2020

Política

Ramagem visita Bolsonaro após STF arquivar processo sobre troca na direção-geral da PF

Alexandre de Moraes encerrou ação na sexta, após governo tornar indicação sem efeito.

G1

10 de Maio de 2020 - 19:31

Ramagem visita Bolsonaro após STF arquivar processo sobre troca na direção-geral da PF

O diretor-geral da Agência Brasileira de Inteligência (Abin), Alexandre Ramagem, visitou o presidente Jair Bolsonaro no Palácio da Alvorada, em Brasília, na manhã deste domingo (10).

Amigo da família do presidente e delegado da Polícia Federal, Ramagem deixou o Alvorada pouco antes das 13h e não falou com a imprensa. Questionadas, as assessorias da Abin e da presidência da República não confirmaram o encontro, nem informaram o motivo da visita.

No fim de abril, Ramagem foi nomeado por Bolsonaro como novo diretor-geral da Polícia Federal em substituição a Maurício Valeixo. A troca foi barrada pelo Supremo Tribunal Federal (STF) mas, antes, levou ao pedido de demissão do ex-ministro de Justiça e Segurança Pública Sergio Moro.

Ramagem é amigo dos filhos de Jair Bolsonaro e, na campanha de 2018, coordenou a segurança pessoal do atual presidente após o atentado a faca em Juiz de Fora (MG). Ele também já foi assessor do então ministro Santos Cruz na Secretaria de Governo.

Ao pedir demissão, Moro afirmou que a troca do diretor-geral da PF era uma tentativa de Jair Bolsonaro de interferir na autonomia da corporação. A declaração levou o ministro do STF Alexandre de Moraes a barrar a indicação, por indícios de desvio de finalidade. Além disso, o ministro Celso de Mello autorizou a PGR a investigar a suspeita divulgada por Moro.

O Planalto tornou a nomeação sem efeito e, por isso, o processo sobre desvio de finalidade foi arquivado na última sexta. A Advocacia-Geral da União (AGU) tentou manter a ação em andamento, sem sucesso, argumentando que Bolsonaro ainda tinha interesse em nomear Ramagem para o comando da PF.

Já a investigação da PGR continua em andamento. No último fim de semana, Moro prestou um depoimento de mais de oito horas à Polícia Federal em Curitiba.

Com base no depoimento, o STF autorizou os procuradores a ouvirem mais dez pessoas, incluindo três ministros do governo Bolsonaro, uma parlamentar e seis delegados da PF – entre eles, Alexandre Ramagem.

De acordo com o calendário obtido pela TV Globo, Ramagem falará à Polícia Federal na tarde desta segunda-feira. Até o momento, o ministro relator Celso de Mello não estabeleceu sigilo sobre o conteúdo desses depoimentos.