Logomarca

Um jornal a serviço do MS. Desde 2007 | Sábado, 20 de Julho de 2024

Região

Sul-mato-grossense é preso com 220 quilos de cocaína em São Paulo

Droga estava escondida em pneus de caminhão que saiu da fronteira e foi parado em Jaú.

Campo Grande News

11 de Junho de 2024 - 14:52

Sul-mato-grossense é preso com 220 quilos de cocaína em São Paulo
Policiais no momento em que retiravam tabletes de cocaína de pneus de caminhão (Foto: Divulgação).

O sul-mato-grossense Leandro Montezelli Borges, 41, foi preso por tráfico de drogas nesta terça-feira (11) na região de Jaú, interior de São Paulo. Morador em Dourados (a 251 km de Campo Grande), ele levava 220 quilos de cocaína nos pneus de um caminhão Mercedes Benz. O carregamento renderia pelo menos R$ 8 milhões aos traficantes.

A droga foi descoberta em operação de combate ao narcotráfico envolvendo a PRF (Polícia Rodoviária Federal) em conjunto com as bases da Ficco (Força Integrada de Combate ao Crime Organizado) no Paraná e São Paulo.

O caminhão vazio foi abordado pelo TOR (Tático Ostensivo Rodoviário) da Polícia Militar paulista. Leandro afirmou ser o proprietário do caminhão e que estava se deslocando a São Paulo para buscar implemento agrícola.

Entretanto, o douradense entrou em contradições ao tentar informar o local exato onde carregaria o equipamento. Durante fiscalização mais detalhada, os policiais encontraram os pacotes de droga nos pneus.

O recurso de carregar cocaína em pneus de caminhões que saem da região de Dourados para grandes centros brasileiros é muito usado pelas organizações criminosas da fronteira. Era assim que agia a quadrilha dos irmãos Ronaldo Mendes Nunes e Hermógenes Aparecido Mendes, presos em dezembro do ano passado no âmbito da Operação Sanctus.

Leandro Montezelli Borges informou que a cocaína saiu de Antônio João, na fronteira com o Paraguai. Alegou ainda que receberia o caminhão que dirigia e R$ 30 mil em dinheiro se conseguisse entregar a droga na capital paulista, onde cada quilo de cocaína custa pelo menos R$ 35 mil. Ele foi levado para a Delegacia da Polícia Federal em Bauru (SP).