Logomarca

Um jornal a serviço do MS. Desde 2007 | Sábado, 19 de Setembro de 2020

Sidrolândia

Choque foi acionado por engano; sem mandado judicial, policiais tentam convencer famílias a deixar área invadida

Homens da tropa de choque tentam convencer famílias a deixarem área invadida no centro de Sidrolândia.

Redação

11 de Outubro de 2019 - 16:17

Mobilizamos em duas viaturas e um micro-ônibus, 18 homens do grupo especial da Polícia Militar de Campo Grande, além de policiais da 8ª Companhia Independente de Sidrolândia, tentam convencer as 34 famílias a deixarem uma área de 20 mil metros quadrados, invadida na manhã desta sexta-feira no centro cidade, proximidades do residencial, Golden.

Sem mandado judicial, as famílias em princípio, resistiram a presença da polícia que foi acionada por engano. Segundo informações, durante uma discussão entre os invasores com um dos herdeiros, na manhã de hoje, populares teriam acionado a polícia informando de que no local havia risco de um eminente confronto entre as famílias e os proprietários (herdeiros).

O grupo que ocupa a área, não está convencidos de que as 2 hectares, segundo informações, em processo de inventário entre familiares do ex-prefeito, Epaminondas Brum, não pertença a União. As 34 famílias alegam que só vão deixar a área com ordem judicial ou mediante apresentação de documentos comprobatórios de que a área é particular.

O produtor rural, Orlei Martins Terra, o "Bukika", que teria comprado parte da área de um dos netos de Epaminondas Brum, Onéis Rodrigues Brum, chegou a apresentar a escritura do imóvel aos líderes do movimento. No início das negociações o clima era de tensão. Em instantes, novas informações.