Logomarca

Um jornal a serviço do MS. Desde 2007 | Quarta, 30 de Setembro de 2020

Sidrolândia

Com efetivo reduzido, policiamento ostensivo fica restrito a uma viatura de segunda a quarta-feira

O reflexo da falta de policiamento em Sidrolândia foi o crescimento das ocorrências de furtos e roubos na cidade.

Flávio Paes/Região News

06 de Novembro de 2019 - 11:37

Com o efetivo restrito a 16 policiais, menos da metade da tropa prevista para estrutura de uma Companhia Independente, menor que a necessária para um pelotão, a Polícia Militar de Sidrolândia restringiu o policiamento ostensivo a uma guarnição de segunda a quarta-feira e no restante da semana, o pessoal administrativo é remanejado para o trabalho de rua garantindo a formação de uma segunda guarnição.

O reflexo da falta de policiamento, que se acentuou desde o mês passado, com a prisão de cinco policiais, foi o crescimento das ocorrências de furtos e roubos na cidade. Hoje há na cidade um policial para cada grupo de 1.562 moradores.

“A população está desprotegida e os marginais perceberam que as rondas diminuíram”, critica o presidente do Conselho de Segurança, Waltemir Ribeiro que tem feito peregrinações semanais a Campo Grande para cobrar providências da Secretaria de Justiça e Segurança Pública. "Não há expectativa de que esta situação seja resolvida ainda neste ano. Só haverá reforço da troca quando forem chamados os aprovados no último do concurso da PM, o que deve ocorrer no primeiro trimestre de 2020. Por conta disso, foi descartada a possibilidade de imediata reativação do Posto Policial do Distrito de Quebra Coco".

O presidente do Conselho defende a união das forças políticas, independente de ideologia e sigla partidária, para cobrar do Governo uma estrutura de segurança compatível com a população da cidade (em torno de 60 mil habitantes), cortada por uma rodovia usada como corredor do tráfico de drogas. “Os políticos precisam renunciar às suas rivalidade e se unir em torno de uma causa comum”, destaca.