Logomarca

Um jornal a serviço do MS. Desde 2007 | Sexta, 5 de Março de 2021

Sidrolândia

Geraldo Resende cobra plano diretor do hospital e superação das divergências políticas

Flávio Paes/RN

21 de Fevereiro de 2021 - 20:05

Geraldo Resende cobra plano diretor do hospital e superação das divergências políticas
Secretário de Saúde Geraldo Resende e Prefeita Vanda Camilo.  Foto: Rafael Brites

O secretário de Saúde, Geraldo Resende, cobrou da diretoria do Hospital Elmiria Silvério Barbosa, que tomou posse no último dia 11 de janeiro, a apresentação de um plano diretor para instituição que projete a estrutura do hospital para as próximas décadas. "Precisamos acabar com a estratégia de ir construindo puxadinhos. Vocês têm neste secretário um parceiro para viabilizar recursos que ampliem os serviços, aumentem a resolutividade. Temos que trabalhar em cima de metas e resultados. Se não apresentarem um projeto consistente, vão passar vergonha, não terão mais recursos ", advertiu.

De acordo com o secretário, o hospital não tem conseguido manter as metas de contratualização, em relação a cirurgias e números de internações. Mês passado foram registradas 30 internações, quando o número pactuado são de 130. Além de recursos estaduais, buscar parcerias para captação de recursos privados, o secretário sugeriu aos dirigentes que se articulem politicamente para garantir recursos de emendas parlamentares junto à bancada Federal.

O secretário defendeu a superação das divergências em torno da construção de uma melhor estrutura de saúde para a cidade. “Temos que buscar o entendimento em torno de um objetivo comum, o partido da saúde" destacou. A transição da antiga para atual diretoria do hospital teve como pano de fundo a sucessão municipal, envolvendo o PSDB, o MDB e a prefeita interina Vanda Camilo. Vereadora mais votada na última eleição, tornou-se presidente da Câmara e prefeita interina. Por 16 anos ela foi diretora administrativa da instituição.

Para o empresário Jacob Breure, vice-presidente da instituição, a baixa resolutividade do hospital é um problema crônico que se arrasta há décadas. "Assumimos está nova diretoria justamente com este olhar. Sonhamos com uma saúde digna do que Sidrolândia representa no cenário político e econômico do Mato Grosso do Sul. Já abrimos diálogo com a prefeita que conhece mais do que ninguém a realidade do hospital, para juntos, promovermos as melhorias necessárias", explica.