Logomarca

Um jornal a serviço do MS. Desde 2007 | Sexta, 30 de Outubro de 2020

Sidrolândia

Pelo 4º ano consecutivo, Sidrolândia não atinge meta do IDEB e volta cair desempenho dos alunos

Uma avaliação que é feita de dois em dois anos sobre o nível de aprendizagem em português e matemática dos alunos.

Flávio Paes/Região News

20 de Setembro de 2020 - 19:04

Alunos Saindo da Escola Porfiria Lopes do Nascimento. Foto: Arquivos/Região News

Pelo quarto ano consecutivo, os alunos da rede municipal de ensino de Sidrolândia não tiveram bom desempenho e com isto o município não conseguiu atingir as metas do IDEB (Índice de Desenvolvimento da Educação Básica), uma avaliação que é feita de dois em dois anos sobre o nível de aprendizagem em português e matemática dos alunos das séries inicias (4º e 5º ano) e finais  (8º e 9ª ano) do Ensino Fundamental.

Na semana passada foram divulgados as médias referentes as provas realizadas em 2019. Os números revelam que a próxima gestão municipal terá de definir estratégias pedagógicas, também  instituir mecanismos de avaliação do desempenho e investir na capacitação dos professores, se quiser obter melhores indicadores daqui a dois anos. Dos 79 municípios de Mato Grosso do Sul, só 37 conseguiram atingir a meta.

O melhor resultado foi alcançado por Nova Andradina, onde os alunos das séries iniciais obtiveram nota 7,0. Houve queda de desempenho em relação ao índice de 2017, de 5,0 para 4,8 no caso os alunos do 4º e 5º ano, quando a meta era atingir média 5,7. Um desempenho pior, por exemplo, que o dos alunos da rede municipal da vizinha cidade de Dois Irmãos do Buriti, que obtiveram nota 5,3, rendimento acima do fixada pelo INEP em 5,0.

Esta discrepância de resultado aconteceu embora  o salário inicial do magistério em Dois Irmãos para o professor concursado com licenciatura, seja 63,71% menor que o pago em Sidrolândia (R$ 2.718.18 por 22 horas semanais, ante o piso de lá, hoje fixado em R$ 1.731.79). O resultado foi ainda pior no caso do 8º e 9ª ano do Ensino Fundamental, com a diferença que só os alunos de sete cidades sul-mato-grossense obtiveram média dentro da meta fixada pelo INEP (Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anisio Teixeira), vinculado ao Ministério da Educação.

Os alunos da rede municipal, que em 2017, tiveram nota 4,0, ano passado, conseguiram 3,9, quando a meta era atingir 5,2 de média, resultado insuficiente para serem aprovados. Ou seja, numa escala de 20 questões duas disciplinas, não conseguiram acertar nem 8, em compensação a média dos estudantes da Escola Estadual Sidrônio Antunes de Andrade foi 5,3 (uma ligeira melhora em relação aos 5,2 de 2017), acima da meta para 2019, que era 4,9.

Também nas séries finais, o melhor desempenho foi alcançado pelos estudantes da rede pública de Nova Andradina (média 6,2), ressalta-se, considerando o ranking das redes municipais. Além da dificuldade de aprendizagem, o que pode ter contribuído para a queda da média é o fato de muitos alunos não terem feito as provas. No caso do 4º e 5º ano, dos 15 espaços escolas (incluindo os polos), 4 não tiveram número suficientes de alunos para que suas notas fossem computadas entrassem na média: Domingos Nantes, do Distrito do Quebra Coco; Arany Barcelos (polo), Darcy Ribeiro (Assentamento Capão Bonito) e Escola Cacique Armando Gabriel (Aldeia Córrego do Meio).

No caso das séries finais, a evasão foi ainda maior. Não foram computadas notas de sete escolas, três delas as com maior contingente de alunos. A Pedro Aleixo, com mais de 1.200, que em 2017, teve o segundo melhor desempenho na rede municipal, com nota 4,3 e para 2019, a meta atingir 5,6.  A Porfiria do Nascimento, com aproximadamente mil alunos também aparece sem nota e o mesmo aconteceu com a Valério Carlos da Costa, que há 3 anos teve média 4,3.

Nota do IDEB - 4º e 5º ano

* 2005 – 3,7

* 2007 – 4,0 – meta - 3,8

* 2008 - 4,0 –meta - 4,1

* 2009 – 4,1 - meta – 4,1

* 2011- 4,6 - meta – 4,5

* 2013 – 4,2 - meta – 4,8

* 2015 - 4,9 - meta – 5,1

* 2017 – 5,0 – meta – 5,4

* 2019 - 4,8 – meta - 5,7

8º e 9º  ano do Ensino Fundamental

* 2005 – 3,5

* 2007 – 3,8 - meta – 3,5

* 2009 - 3,8 - meta – 3,7

* 2011- 4, 2 - meta – 3,9

* 2013 - 3,6 -  meta - 4,3

* 2015-  4,4 – meta - 4,7

* 2017 – 4,0 – meta - 5,0

* 2019 – 3,0 - meta – 5,2