Logomarca

Um jornal a serviço do MS. Desde 2007 | Quinta, 24 de Setembro de 2020

Sidrolândia

Quebra Coco terá duas semanas de medidas restritivas, não Lockdown

O posto de saúde continuará aberto, assim como estabelecimentos comerciais como padarias, mercados, que estão no grupo de serviços essenciais.

Flávio Paes/Região News

14 de Junho de 2020 - 20:08

Quebra Coco terá duas semanas de medidas restritivas, não Lockdown

A partir desta segunda-feira e nas próximas duas semanas, Quebra Coco, distrito de Sidrolândia com aproximadamente 1.500 habitantes, estará em regime de quarentena. Haverá restrições a circulação para garantir o isolamento social recomendado para quebrar a cadeia de transmissão do Covid-19.

A Secretaria Municipal de Saúde adotou a medida, formalizada em decreto que será publicado no Diário Oficial, depois da confirmação que uma moradora do distrito, dona Cícera Aparecida, de 61 anos, que morreu no último dia 7, contraiu Covid-19.

As medidas de isolamento social previstas no decreto, estão longe de caracterizar um Lockdown que algumas capitais brasileiras, como Fortaleza, Belém, São Luiz do Maranhão, adotaram. Quem mora no distrito e trabalha em empresas na área urbana de Sidrolândia, como os frigoríficos, as unidades de armazenagem, a esmagadora Rio Pardo, manterão suas rotinas diárias de ida e volta do serviço. Será recomendado o uso de máscaras, além de medidas de higienização com o uso de álcool em gel, manter o distanciamento social.

O posto de saúde continuará aberto, assim como estabelecimentos comerciais como padarias, mercados, que estão no grupo de serviços essenciais. A recomendação é para as pessoas ficarem em casa, não visitar os vizinhos, mas não está previsto nenhum tipo de controle de circulação das pessoas, como se faz num lockdown. Segundo a Secretaria de Saúde, a estratégia será semelhante a adotada na área urbana de Sidrolândia em março, quando por uma semana só os supermercados, farmácias e padarias funcionaram. Está sendo cogitada a montagem de uma barreira sanitária na MS-162 que atravessa o distrito.

Não poderão funcionar restaurantes, bares, conveniências, nem serão permitidas manifestações religiosas (cultos, missas), eventos esportivos ou sociais, como rodas de tereré, churrascos entre amigos. O desafio será a fiscalização já que no distrito há pelo menos dois anos não há um único policial que possa fazer valer, por exemplo, o toque de recolher a partir das 22 horas, como o adotado na área urbana. O que pode ajudar o cumprimento da quarentena é o fato da maioria dos moradores serem idosos (são do grupo de risco) e aposentados, não precisam sair de casa diariamente para trabalhar.

Equipes da Secretaria de Saúde vão percorrer a cidade para localizar todas pessoas que tiveram contato com dona Cícera nos dias anteriores a morte dela. A intenção é testar todos. Na semana passada este trabalho foi feito com os familiares da dela.