Logomarca

Um jornal a serviço do MS. Desde 2007 | Sexta, 15 de Janeiro de 2021

Sidrolandia

13 dias após morte, família de Patrícia cobra consulado para obter informações

Sandra relatou que uma carta foi enviada ao juiz, para que ele enviasse o real motivo da morte de Patrícia.

Campo Grande News

27 de Janeiro de 2014 - 15:24

Após 13 dias da morte de Patrícia Souza Leal, 28 anos, a família ainda não tem novidades sobre o caso e espera decisão da justiça. De acordo com a tia da jovem, Sandra de Souza Pereira Reis, 34, o consulado está mediando todas as informações sobre o crime.

“Eu falei com o consulado no sábado e me disseram que estão esperando o contato do juiz, que está cuidando do caso, para me passarem informações”, comentou Sandra. Ela afirmou que o consulado brasileiro, na Espanha, está intermediando, mas precisou cobrá-los.

Sandra relatou que uma carta foi enviada ao juiz, para que ele enviasse o real motivo da morte de Patrícia. “Até quarta-feira eu vou esperar a resposta desta carta, senão eu volto a cobrar o consulado”, afirmou.

Caso – Patrícia morava há cerca de oito anos em Madrid. Ela encontrada, na noite de quarta-feira (15), morta a facadas. O chefe de Patrícia estranhou a falta dela no trabalho, então, ligou para um amigo da jovem, que foi até a casa e a encontrou morta embaixo do chuveiro. Os amigos suspeitam do namorado, que tinha um relacionamento com ela há dois meses

Mas de acordo com a tia da jovem, além do namorado, surgiu um segundo suspeito pelo assassinato de Patrícia. A polícia espanhola informou monitorar outra pessoa, mas não deu detalhes do caso para não vazar a informação e atrapalhar as investigações.

Para transportar o corpo de Madrid até São Paulo, a família precisará pagar R$ 17 mil. Inicialmente, eram necessários R$ 45 mil, mas o consulado brasileiro na Espanha conseguiu reduzir o valor do translado.